Brasil

Preso confessa atrair meninos para relações sexuais em troca de carreira no futebol

Imagens e diálogos mostram que homem primeiro aliciava os adolescentes para que lhes remetessem fotografias pornográficas

Louise Queiroga, da Agência O Globo

Um homem que se apresentava como "empresário de futebol" foi preso preventivamente nesta quinta-feira, no Rio Grande do Sul, com 2 mil imagens pornográficas de adolescentes em aparelhos celulares encontrados em sua residência, no município de Santa Maria. Na Delegacia de Polícia de Cruz Alta, C.A.S.J., de 32 anos, confessou que atraía meninos com o sonho de serem jogadores profissionais de futebol para manter relações sexuais com eles, em troca de presentes. Antes, iniciava uma conversa no WhatsApp com as vítimas, para ganhar sua confiança e começar seu plano pedindo fotos deles em posições eróticas.

C.A.S.J., de 32 anos, confessou os crimes de pedofilia Foto: Divulgação/Polícia Civil do Rio Grande do Sul

As imagens e diálogos mostram que C.A.S.J. primeiro aliciava os adolescentes para que lhes remetessem fotografias pornográficas. Depois, marcava encontros e mantinha relações com os adolescentes. O caso está sendo tratado pela Polícia Civil do RS como um "verdadeiro comércio sexual", em que os meninos eram atraídos à prostituição, integrando o "mercado dos prazeres sexuais". Também foi possível verificar que o investigado se comunicava com outros suspeitos no Brasil todo, trocando fotos e telefones de menores de idade, numa "verdadeira rede de pedofilia".

No interrogatório, o preso citou 26 nomes de meninos, dos quais se lembrava de ter recebido fotos em poses pornográficas e com os quais manteve relações sexuais. Algumas dessas vítimas são do Rio Grande do Sul, outras são de Santa Catarina. Ele deve ser enviado ao Presídio Estadual de Cruz Alta.

— É importante ressaltar que C.A.S.J. confessou a prática de atos de pedofilia com muitos outros menores, porém só recorda dos nomes que citou. Todos os identificados serão ouvidos pela Polícia Civil — disse o delegado Muniz.

Segundo Muniz, o homem está sendo investigado por pedofilia, mais precisamente por "facilitação de participação de adolescentes em cena pornográfica", crime previso no Estatuto da Criança e do Adolescente, e por "favorecimento da prostituição" de adolescente, delito previsto no Código Penal.

Um mandado de busca e apreensão na casa de C.A.S.J., no bairro Cohab, em Santa Maria, foi expedido pelo poder judiciário. A diligência de busca ocorreu na manhã da última terça-feira pela equipe de investigação da DP de Cruz Alta, com o apoio de agentes da 2º DP de Santa Maria. Foram apreendidos objetos e documentos que reforçam a prova dos crimes. Nos celulares do homem, havia cerca de 2 mil imagens pornográficas de adolescentes.

No mesmo dia em que ocorreram as buscas, C.A.S.J. confessou os crimes, admitindo que inicia amizades com adolescentes que integram escolinhas de futebol e sonham ser jogadores profissionais, conquistando a confiança das vítimas, todas do sexo masculino, com 15 anos, em média. Normalmente, participam de escolinhas de futebol ou estão diretamente ligados a essa modalidade esportiva.

Em troca das fotos e das relações sexuais, C.A.S.J. lhes oferecia presentes, como pares de chuteiras, "auxílio financeiro", recargas de telefones celulares pré-pagos, participação em campeonatos de futebol e até a promessa de ascenção profissional, como jogador em algum clube. O investigado já treinou, no passado, uma equipe infantil e infanto-juvenil em Santa Maria que se chamava "Internazionale".

A investigação começou há seis dias pelo delegado Josuel Muniz, em Cruz Alta, após a mãe de um adolescente de 14 anos denunciar o crime. A mulher entregou à polícia capturas de tela do aplicativo de troca de mensagens, mostrando que C.A.S.J. pedia fotos de seu filho. Nas conversas, o homem promete um par de chuteiras ao menino e combina um encontro com a vítima, em algum hotel da cidade.