Brasil

Professor é preso sob a suspeita de ter estuprado aluna de 12 anos

Foram apreendidos um celular e um notebook do suspeito

Agência O Globo
- Atualizada em

Um professor de esgrima foi preso sob a suspeita de ter abusado sexualmente de uma aluna durante treinamentos no Clube Círculo Militar de Curitiba. A identidade dele não foi divulgada para não expor a vítima, que tem 12 anos.

O homem estava em sua residência, no bairro Portão, na capital paranaense, quando foi preso por policiais civis nesta segunda-feira. No local, os agentes também cumpriram mandado de busca e apreensão. Foram apreendidos um celular e um notebook.

A investigação segue em andamento. Os investigadores devem ainda verificar se mais alguma aluna foi vítima de abusos.

Confira a nota na íntegra do Clube Círculo Militar de Curitiba:

A direção do Clube Círculo Militar do Paraná, surpreendida pela prisão temporária do professor de esgrima, ocorrida na última segunda-feira (11), em razão da suspeita de molestar sexualmente uma ex-sócia-atleta menor do Clube, informa que instaurou Comissão Sindicante para apurar os fatos divulgados pela Imprensa. A Comissão foi formada na manhã desta quarta-feira (13) e é composta pelo Cel. Ivan Irber (2º Vice-Presidente), Dr. José Orivaldo de Oliveira (Diretor Jurídico) e Carlos Alberto Afonso (Diretor de Esportes). Entre suas atribuições, a Comissão deverá ouvir sócios-atletas e atletas-sócios que tiveram aulas e treinamentos com o professor, bem como seus familiares, para apurar qualquer inconformidade profissional, pessoal ou desportiva na conduta de do professor.

A direção do Círculo Militar do Paraná também vem a público esclarecer os seguintes pontos.

Sobre a ex-sócia-atleta denunciante e sua família.
- A direção do Clube solidariza-se com a sua ex-sócia-atleta e sua família e lamenta profundamente não ter sido comunicada anteriormente sobre os fatos relatados na denúncia formalizada à polícia.

- A direção do Clube coloca-se à disposição da ex-sócia-atleta e seus familiares para ajudar na elucidação dos fatos e na superação dos mesmos.

Sobre o professor
- O professor atuou como professor e treinador de esgrima do Clube no período de maio/2016 até o dia 6 de fevereiro de 2019, quando foi desligado do quadro de funcionários por contingenciamento financeiro.

- Nesse período, o professor treinou mais de 30 atletas, de diferentes categorias, sem nunca ter sido denunciado por qualquer ilícito ou comportamento profissional inadequado.

- Também não houve registro de qualquer reclamação formal contra o professor nos canais de ouvidoria do clube.

Sobre a denúncia contra o professor
- A direção do Clube informa que o inquérito policial tramita em Segredo de Justiça, razão pela qual não teve acesso ao exato teor das acusações que pendem contra o professor; porém, já contatou a autoridade policial e se disponibilizou a colaborar com as investigações para que a Justiça possa ser estabelecida.

Sobre as notícias veiculadas pela Imprensa.
- A direção do Clube informa que não oferece serviço de treinador personal em esgrima e que as aulas desta modalidade não são individuais.

- A direção do Clube informa, ainda, que a ex-sócia-atleta denunciante e sua família nunca requisitaram o cadastramento de qualquer maior responsável para acompanhá-la no interior do Clube, seja para os treinamentos ou para os momentos de lazer.

Sobre os atletas do Clube.
- A direção do Clube preza pela saúde, integridade física, equilíbrio emocional e desenvolvimento integral dos seus atletas, zelando por sua segurança e bem-estar em todos os momentos, especialmente durante treinos e competições.

- A direção do Clube destaca que, desde a sua fundação, em 1934, o Círculo Militar do Paraná é referência na formação de atletas em diferentes modalidades, muitos dos quais atingiram projeção e reconhecimento nacional e internacional.

- A direção solidariza-se com todos os alunos e atletas do Clube, que ao longo do ano somam aproximadamente 300 praticantes das diversas modalidades desportivas, como esgrima, vôlei, basquete, natação, tênis e para-vôlei, lamentando pelo constrangimento causado pela denúncia envolvendo um ex-professor do Círculo Militar do Paraná.