Brasil

Professora é agredida por aluna e irmãs dentro de escola municipal

Luciana está afastada das duas escolas nas quais trabalha

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

Uma professora foi agredida por uma aluna de 15 anos e suas duas irmãs durante uma festa realizada em uma escola municipal, na cidade de Parobé, no Rio Grande do Sul. De acordo com o Extra, Luciana Fernandes, de 23 anos, professora de Ciências Biológicas, ficou responsável por uma das brincadeiras, que tinha o objetivo de arrecadar fundos para a escola.


Em entrevista ao Extra, Luciana explicou o que aconteceu durante a entrevista."Eu fiquei responsável pela cadeia, brincadeira típica de festas juninas. Criamos uma prisão simbólica, para onde as pessoas da festa podiam ser levadas - sem uso de força física - e, depois, liberadas. O valor da “fiança” era de 50 centavos, mas não era obrigatória. Era uma brincadeira mesmo, com o objetivo de arrecadar fundos para a escola. Em determinado momento, essa aluna foi “presa” com um colega, que pagou a fiança dos dois.


Quando fui sair para pegar o troco do menino, ela tentou me agredir. Disse que ia me matar", descreveu.Luciana apanhou da aluna e também por outros funcionários da escola. "Só ouvi a estudante gritar: “É aquela ali!”. Depois disso, as três começaram a me agredir brutalmente. Me deram socos, pontapés, puxaram meu cabelo.


Do lado de fora, cerca de dez familiares da menina incitavam as agressões. A coordenadora tentou afastá-las, mas elas eram muito fortes. Não reagi em nenhum momento", relembra a professora.Ainda durante a entrevista, Luciana disse que a estudante que a agrediu tem um histórico de comportamento agressivo, e que a aluna sempre tentava arrumar confusão durante as aulas.


Luciana está afastada das duas escolas nas quais trabalha - uma da rede municipal e outra da rede estadual - e que está à base de calmantes.


O delegado Gustavo Bermudes, da Delegacia de Parobé,  responsável pelo caso, informou que a vítima prestou depoimento e que as mulheres envolvidas na agressão já foram identificadas e poderão ser indiciadas por lesão corporal. O caso aconteceu no domingo (16). As informações são do Extra.