Brasil

'Se pudesse, voltaria atrás', diz Macarrão preso pela morte de Elisa Samudio

Ele ficou oito anos preso pelo crime que teve parceria com o goleiro Bruno

Redação Correio 24 horas
- Atualizada em

Após oito anos preso, Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão, de 32 anos, foi solto na noite de sexta-feira (2). Macarrão ficou preso pela participação no crime envolvendo a morte da modelo Eliza Samudio, em 2010. 

(Foto: Reprodução)

Apontado pela Justiça como comparsa do ex-goleiro do Flamengo, Bruno, na execução do crime ele afirmou que se envolveu na ação por ganância. "Quero deixar bem claro que as pessoas que me conheceram no passado, que me conhecem hoje, sabem que eu não sou um criminoso. Infelizmente, eu tive envolvimento num crime. A vida que eu tinha que me trouxe a ganância. O que me levou a isso foi a ganância", disse aos jornalistas. 

Macarrão também falou que merece uma segurança chance. "Infelizmente não tem como voltar atrás. Porque, se pudesse voltar atrás, eu voltaria. [...] Acho que qualquer ser humano tem que ter uma segunda chance", afirmou ao sair do Complexo Penitenciário Doutor Pio Canedo, em Pará de Minas, em Minas Gerais. Após oito anos da condenação, ele agora cumpre o restante da pena em regime aberto domiciliar.

O benefício, impetrado pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) foi concedido a Luiz Henrique graças aos 1.134 dias trabalhados e 570 horas de estudo. A partir de agora, Macarrão ficará na casa de parentes.