Brasil

Sete produtos vendidos como azeite extravirgem são retirados do mercado

Tribunal determinou que as empresas façam a retirada desses lotes do mercado, sob pena de multa diária de R$1000 se não fizerem

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
Sete produtos vendidos como azeite extravirgem foram retirados do mercado após testes feitos em outubro pela Proteste (Associação de Defesa do Consumidor) mostrarem que eles não podem ser considerados óleo de oliva e, sim, uma mistura de óleos vegetais. Em nota, a Proteste afirmou que conseguiu obter duas novas liminares no Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, referente às ações judiciais contra as marcas de azeite Faisão Real (Lote 001, validade:03/08/2020) e Barcelona (Lote 2275/18, validade 01/01/2020).

 O Tribunal determinou que as empresas façam a retirada desses lotes do mercado, sob pena de multa diária de R$1000 se não fizerem. Antes, também a Justiça já tinha determinado que a marca Borgel - reprovada no mesmo teste - recolhesse seu produto de lote 006, validade 02/01/2020, de forma imediata das prateleiras. As outras marcas que não foram aprovadas são: Porto Valência, Casalberto, Olivenza e Do Chefe.