Brasil

Sobe para sete o número de mortos após segurança atear fogo em creche em Minas

Homem, que jogou gasolina no próprio corpo, morreu no hospital

Agência O Globo
O número de mortos no atentado em uma creche municipal de Janaúba, no Norte de Minas Gerais, nesta quinta-feira, subiu para sete. As vítimas eram seis crianças, de quatro anos de idade, que estudavam na sala onde o vigia da unidade colocou fogo, e uma professora. Segundo a assessoria de imprensa do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, as duas novas vítimas estavam sendo transportados de Janaúba para Montes Claros, mas não resistiram.
Segundo a Polícia Militar (PM), Damião Soares dos Santos, de 50 anos, jogou gasolina no próprio corpo, nas crianças e em seguida ateou fogo. Ele morreu à tarde, no hospital com quase 100% do corpo queimado. Aproximadamente 45 pessoas ficaram feridas, sendo que sete em estado grave.
A polícia ainda não tem informações sobre o que motivou o segurança a cometer o crime. Além da licença médica, ele também havia emendado um período de férias. Damião foi à creche pela manhã de ontem e chamou uma das professoras. Segundo funcionários, a suspeita era que ele estava ali para entregar o atestado médico, mas logo invadiu as salas. De acordo com o G1, foram encontrados pelo menos seis galões com álcool na casa do vigilante.
Imagens gravadas minutos após o atentado mostra momentos de desespero e pânico de quem estava no local e presenciou o crime. No vídeo, é possível ver o momento em que policiais militares retiram de dentro da creche algumas crianças e moradores tentam apagar o incêndio. Uma mulher com queimaduras graves também é filmada, além de crianças.