Brasil

Terapeuta é acusado de cinco estupros durante sessões

"Guru da meditação" ficou conhecido pelas lives na pandemia

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

O terapeuta Tadashi Kadomoto, que ficou conhecido como o "guru da meditação na pandemia" pelas lives de autoconhecimento nas redes sociais, foi acusado de estupro de vulnerável por uma ex-aluna, além de outras mulheres que também seriam vítimas dele. As informações são do canal de televisão GloboNews.

A ex-aluna e paciente que fez a denúncia teria procurado o Ministério Público no fim do ano passado. Ela disse, segundo a GloboNews, que foi vítima de abusos sexuais durante sete anos de tratamentos e treinamentos. A promotoria reuniu provas e o terapeuta vai responder por cinco estupros na Justiça, além de lesão corporal grave, pelos danos psiquiátricos causados.

"Em vez de melhorar, ela piora… Piora a anorexia, não encontra o conforto buscado. Pelo contrário, ela encontra uma angústia que se amplia. Ela não via nada, estava totalmente envolvida por ele e foi vítima de abusos sexuais. Isso tudo aconteceu sem a consciência dela e sem nenhuma capacidade de resistência", disse à GloboNews o advogado da vítima, Luiz Flávio D'Urso.

Na madrugada desta segunda-feira (12), o terapeuta publicou um vídeo negando os abusos e afirmando que está à disposição da Justiça. A defesa dele disse em nota que "em toda a sua reconhecida trajetória profissional, jamais recebeu solicitação de esclarecimento sobre qualquer fato e nenhuma denúncia formal até o momento".