Brasil

TSE decide lançar portal para combater 'fake news'

Eleitores poderão consultar veracidade de fatos a partir de uma ferramenta

Gabriela Valente, da Agência O Globo

Preocupado com o avanço das notícias falsas na internet, as chamadas “fake news”, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) vai lançar nos próximos meses uma ferramenta para coibir a propagação de informações inverídicas no país. Fontes que tratam do assunto no tribunal disseram ao GLOBO que a ideia é criar um grande portal de internet com as melhores empresas que já atuam na checagem de fatos. Nele, o internauta poderá conferir se uma notícia é verdadeira com mais facilidade e, principalmente, rapidez.

O aval para a construção da ferramenta já foi dado pelo presidente do TSE, ministro Luiz Fux. O próximo passo será negociar com as empresas de checagem de conteúdo o modelo de parceria.

O TSE vai contar com o trabalho da Secretaria de Comunicação da Presidência da República para desenvolver o portal. O ministro Luiz Fux pediu prioridade ao órgão do governo no desenvolvimento da ferramenta e a expectativa é de que o site esteja pronto em dois meses.

Além de participar do projeto do TSE, o GLOBO apurou que o governo pretende lançar uma campanha publicitária para combater a propagação de notícias falsas na rede. Além do Judiciário e do Executivo, o plano do governo é incluir o Parlamento no movimento contra as “fake news”. Recentemente, o ministro Luiz Fux falou da preocupação do tribunal em tentar evitar que as notícias falsas contaminem a decisão dos eleitores nas eleições.

Foto: Reprodução
— Notícias falsas, “fake news”, derretem candidaturas legítimas. Uma campanha limpa se faz com a divulgação de virtudes de um candidato sobre o outro, e não com a difusão de atributos negativos pessoais que atingem irresponsavelmente uma candidatura — disse Fux.

Essa campanha deve começar a ser veiculada nas próximas semanas e deve durar até o fim do ano. Além dos veículos tradicionais de comunicação como jornais, revistas, rádios e TVs, o governo deve investir em redes sociais, o grande instrumento de difusão de informações inverídicas.

Em fevereiro, durante um café com jornalistas, o ministro Luiz Fux anunciou uma parceria com a imprensa para discutir formas de combater as “fake news” durante a campanha eleitoral. O presidente do TSE também divulgou na ocasião que o Ministério Público e a Polícia Federal passariam a integrar o Conselho Consultivo montado no TSE para estudar soluções para o tema.

— A imprensa brasileira será a nossa parceira, nossa fonte primária em uma das nossas maiores preocupações que é o combate às “fake news” — disse Fux.