Brasil

Valor do novo saque do FGTS será próximo de um salário mínimo

Medida estudada para reduzir impactos da epidemia de coronavírus abrange 60 milhões de contas

Geralda Doca, da Agência O Globo

O novo saque das contas do FGTS deverá ficar próximo a um salário mínimo (em R$ 1.045) por conta, ativa e inativa, para todos os trabalhadores. Este valor foi apontado por técnicos da equipe econômica como sendo o limite para não prejudicar a política social do Fundo nas áreas de habitação e saneamento.

A medida abrange 60 milhões de contas e pode injetar na economia R$ 34 bilhões. Este valor considera os R$ 21,5 bilhões que serão repassados do Pis/Pasep para reforçar a contabilidade do FGTS, mais R$ 14 bilhões que não foram retirados no saque imediato do FGTS.

Segundo técnicos que estão participando das discussões, outros cenários também sendo avaliados e a decisão será do ministro da Economia, Paulo Guedes. Ainda não há data para ser apresentada. A nova rodada de saque será implementada por medida provisória (MP), que vai definir também prazos e cronograma para que a Caixa Econômica Federal faça os pagamentos. 

Inicialmente, os técnicos pretendiam aguardar o encerramento do exercício do Fundo do Pis/Pasep, em 30 de junho, para autorizar a nova rodada de saques do FGTS, mas diante do agravamento da crise, a ordem foi acelerar os trabalhos. A medida faz parte das ações do governo para amenizar os efeitos do novo coronavírus na renda dos trabalhadores.

Em julho do ano passado, o governo editou uma MP, autorizando um saque emergencial de R$ 500 nas ativais e inativas do FGTS para estimular a economia. O texto aprovado pelo Congresso Nacional elevou o valor para R$ 998. Mas, só para quem tinha até este valor na conta vinculada, na data da emissão da proposta.