Brasil

Variante ômicron: Anvisa recomenda restrição de viajantes vindos de 6 países africanos

Ministro da Casa Civil anunciou em uma rede social que a sugestão será acolhida

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

Com o objetivo de prevenir a entrada da variante ômicron no Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recomendou ao governo brasileiro a restrição de acesso de estrangeiros vindos de seis países africanos que registraram casos da doença. 

O presidente Jair Bolsonaro descartou, ao longo do dia, a adoção dessa medida. Porém, o ministro da Casa Civil anunciou nas redes sociais que a sugestão será acatada nesta sexta-feira (26).

O relatório da Anvisa apontou que as medidas restritivas são para o controle da disseminação da nova variante, detectada na África do Sul, Botsuana, eSwatini (antiga Suazilândia), Lesoto, Namíbia e Zimbábue.

A área técnica da Anvisa reforça ainda que essa nova variante parece ter maior transmissibilidade e provavelmente está ligada ao aumento contínuo de infecções nos países cuja cobertura vacinal ainda encontra-se baixa. De acordo com o Jornal Nacional, a Anvisa também relembra que países como Itália, Alemanha e Reino Unido já começaram a restringir a entrada de viajantes dessa região.

Dentre as recomendações, destacam-se: 

  • A suspensão de autorização de desembarque, nos aeroportos, de estrangeiros que tenham passado pelos seis países africanos até 14 dias antes da chegada ao Brasil;
  • Quarentena para os brasileiros que também estiveram nesses seis países em um período de até 14 dias.
  • África do Sul, Botsuana, eSwatini, Lesoto, Namíbia e Zimbábue não têm voos diretos para o Brasil. Por isso, a Anvisa recomendou que viajantes que estiveram nesses países e tentarem entrar no Brasil por outros meios de transporte também sejam barrados.

O documento da Anvisa foi direcionado à Casa Civil da Presidência da República e aos Ministérios da Justiça, Infraestrutura, Relações Exteriores e da Saúde.