Brasil

Vídeo mostra caso de injúria racial no metrô: 'Não quero que essa preta toque em mim'

Autora das ofensas foi retirada do vagão por seguranças na estação de Botafogo; vítima preferiu não registrar ocorrência

Louise Queiroga

Usuários do metrô do Rio de Janeiro ficaram revoltados nesta quinta-feira (29) ao verem um episódio de injúria racial contra uma mulher negra que aparentava estar em choque diante das ofensas. A cena, ocorrida dentro de um vagão, por volta das 15h, foi filmada e publicada nas redes sociais, gerando uma enxurrada de críticas ao comportamento da autora dos xingamentos, que foi retirada do transporte público por seguranças.

Foto: Reprodução/Facebook
As imagens mostram uma mulher com os ânimos exaltados reclamando que foi tocada por uma passageira negra.

"Eu não quero que ela toque em mim. Tocou a mão em mim. Eu não quero que essa preta toque em mim", diz a passageira aos berros. "Essa mulher tocou em mim, essa mulher tocou na minha mão. Estão fazendo de propósito", gritou pouco tempo depois.

Enquanto ela continua ofendendo a mulher negra, as pessoas que estavam presentes tentavam acalmar a situação e fazê-la parar. Algumas chamaram a agressora de "racista". Outras diziam para ela ir embora.

Em determinado momento do vídeo, ela diz frases sem sentido, o que levou alguns internautas a comentarem que talvez estivessem passando por um surto psicótico, o que não justificaria, contudo, as ofensas.

"Hoje é aniversário da minha mãe, e essa não é a minha mãe", afirma, antes de gritar, pouco depois: "Eu não sou parente dela!"

Também é possível ouvir uma mulher dizendo que estava dando voz de prisão à passageira. No entanto, segundo a assessoria de imprensa do MetrôRio, a vítima preferiu não registrar ocorrência em uma delegacia e seguiu viagem.


Quando as portas do metrô se abriram, os seguranças da concessionária foram chamados, e a responsável pelo tumulto foi retirada do local para evitar mais transtornos.

A estudante de Design Beatriz Andrade, de 22 anos, compartilhou o vídeo em seu perfil do Facebook, explicando que decidiu registrar o ocorrido porque seria sua única forma de ajudar. A publicação recebeu cerca de 35 mil compartilhamentos, ultrapassando 1,4 millhão de visualizações. Segundo a autora das imagens, a situação toda ocorreu enquanto o metrô da linha 1, sentido Uruguai.

"Não quero incentivar ódio, até porque a mulher opressora provavelmente não estava em suas faculdades mentais, mas isso nao é justificativa pra amenizar o estrago que ela fez", disse na publicação.

Ao EXTRA, a jovem contou ter escutado a mulher dizer, no início da confusão, a seguinte frase: "Eu hoje quero ser má com negros". Antes disso, ela não dizia nada compreensível, mas a partir desse momento, as pessoas dentro do vagão começaram a reagir.

— (Nessa hora) começou o tumulto. Muita gente vindo em volta pra defender — afirmou.

No post que viralizou, Beatriz descreveu como as pessoas que estavam no vagão se solidarizaram com a vítima.

"Outra mulher negra se juntou para dar apoio, as duas super mal e uma delas chorando", afirmou na publicação, ressaltando o quanto episódios como esse são comuns na sociedade: "Somos iguais? Mesmo? E há gente que acha que o racismo escancarado não está do nosso lado".

Para a agressora ser retirada do local, a estudante relatou que não foi tarefa fácil para os seguranças.

— A mulher subiu em cima dos bancos falando que não ia sair, ficou nesse vai não vai até que uma segurança mulher a puxou na força e a puxou pra fora do metrô — disse. — A reação da vítima foi ficar quieta o tempo inteiro, ela não falou uma palavra durante a situação toda.