Brasil

Vídeo mostra menina autista acompanhada de adolescente antes de ser encontrada morta

Raíssa estava amarrada pelo pescoço à uma árvore. Ela apresentava uma lesão no ombro e o rosto estava ensanguentado.

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

Um vídeo obtido pela polícia civil mostra o momento em que a criança autista Raíssa Eloá Caparelli Dadona, de 9 anos, anda acompanhada de um adolescente de 12 anos na rua momentos antes de ser encontrada morta no Parque Anhanguera, em São Paulo (SP),  no último domingo (29). As informações são do G1 São Paulo.

Foto: Reprodução
A polícia consideras que o garoto, que já prestou depoimento à polícia, é suspeito de ter cometido o assassinato, e vai pedir a apreensão dele à Justiça. Raíssa estava amarrada pelo pescoço à uma árvore, em um espaço restrito a funcionários do parque Anhanguera. Ela apresentava uma lesão no ombro e o rosto estava ensanguentado. Não é considerada a hipótese de enforcamento.

No vídeo, é possível ver a vítima de vestido rosa ao lado do adolescente que carregava uma mochila rosa que parecia ser da criança. Eles caminhavam tranquilamente um ao lado do outro.

Ainda segundo a apuração do G1 , a mãe da criança contou a polícia que levou a menina e um irmão mais nova para uma festa no Centro Educacional Unificado (CEU) de Anhanguera. Em um momento, ela deixou Raíssa no pula-pula e foi buscar pipoca para o outro filho.

Ao retornar, ela não encontrou mais a filha. A gestora do CEU procurou a criança e pediu ajuda às outras pessoas.

 
Foto: Reprodução/TV Globo
A polícia informou ao G1 que o menino apresentou duas versões do fato durante os depoimentos prestados desde do dia 29 de setembro. Em um momento, ele disse que foi ameaçada por um homem de bicicleta por uma faca e foi obrigado a ajudar a matar a criança.

Segundo a apuração do G1, o boletim da ocorrência do homicídio consta que o corpo "estava amarrado por uma corda em um tronco de árvore e estava de pé (não suspenso), ou seja, os pés encostavam no chão. Trajava um conjuntinho rosa e estava descalça".

O documento detalha ainda o estado do corpo da vítima: "ostentava diversos ferimentos na região da face, dificultando, inclusive, a sua identificação por reconhecimento fotográfico. Alguns ferimentos no ombro direito e escoriações diversas nos braços e pernas, bem como um sulco aparente no pescoço provocado pela corda amarrada."
 
Veja o vídeo: