Brasil

Vítima de estupro de 12 anos diz que levou gravata e foi levada até gerente do tráfico

Crime aconteceu próximo a um baile durante o dia na segunda-feira de carnaval

Agência O Globo

 A menina de 12 anos que foi vítima de um estupro coletivo em Itaguaí, Região Metropolitana do Rio de Janeiro, contou em depoimento que levou uma gravata e foi levada até o gerente do tráfico para ser abusada. Ainda de acordo com a adolescente, ela estimou que mais ou menos onze homens teriam abusado dela. O crime aconteceu próximo a um baile durante o dia do Morro do Carvão na segunda-feira de  carnaval.

Jorge Luís, de 19 anos, foi preso na Zona Oeste do Rio de Janeiro


A adolescente não mora na favela. Ela relatou na delegacia que aproveitou que os pais não estavam em casa e foi até o local porque tinha curiosidade de conhecer o baile funk na favela. Lá, encontrou amigas. Ainda de acordo com a adolescente, ela ficou embriagada, subiu na área reservada ao DJ, levantou a blusa e abaixou a short. Dois vídeos foram feitos delas nessa situação.

Uma menina que estuda com a vítima publicou em uma rede social que ela é a mais quietinha da turma. Outras amigas escreveram que o comportamento da jovem durante aquela festa foi irreconhecível e que elas não acreditam que a adolescente poderia fazer aquilo. É possível ver no vídeo que um homem abaixa a calcinha da menina. Marcos Santana, delegado titular da 50ª DP (Itaguaí), afirma que esta pessoa também será investigada por "praticar outro ato libidinoso com menor de 14 anos". A pena é de reclusão de oito a 15 anos.
Foto: Reprodução

— Ela contou que um homem deu uma gravata nela e que o "Sheik" queria falar com ela — afirmou o delegado.