Carnaval

Brown estreia no carnaval de SP, interrompe trio para dispersar briga

Em 40 anos de carreira, músico baiano fez sua primeira aparição na folia paulistana neste sábado

Aline Ribeiro, da Agência O Globo
- Atualizada em

Carlinhos Brown tinha só 16 anos quando subiu pela primeira vez num trio elétrico, tempos em que o carro de som ainda era um trambolho bastante precário. Neste sábado, o cantor e compositor baiano, de 56 anos, participou pela primeira vez do Carnaval de São Paulo, comemorando quatro décadas de folia. Num trio com ares futuristas, feito especialmente para o evento, Brown levou o Bloco du Brasil à Avenida Faria Lima, na região Oeste da capital paulista.

Em determinado momento da festa, Brown chegou a parar a música ao ser alertado por foliões que havia uma briga no bloco. O músico relatou o fato e, em instantes, policiais militares intervieram. Ao longo de quase quatro horas, o músico cantou, dançou, desceu do trio e fez trenzinho com foliões. Ao perceber a aproximação de uma menina, perguntou seu nome, "Ana Julia", e lhe passou o microfone para que ela cantasse a música de mesmo nome da banda "Los Hermanos".

Foto: Deividi Correa/Ag.News

O bloco estava marcado para às 11h, mas Brown só subiu no trio elétrico às 12h30. Ele comentou o sentimento de trocar a terra do axé pela terra da garoa para comemorar seus 40 anos de carnaval: — O axé é a maior revolução rítmica e estética de Carnaval dos últimos séculos e fico honrado de participar de tudo isso e poder comemorar 40 anos de carnaval em São Paulo —, disse.

Antes do início do bloco, o VJ Gabiru, que acompanhou Brown na folia, incensou o trio elétrico para atrair boas energias para a festa. Ele diz fazer isso sempre antes de uma apresentação. — Queremos trazer a alegria da Bahia pra todo mundo dar risada, dançar e brincar — disse Gabiru.

No repertório de estreia na folia paulistana, Brown tocou hits como "A Namorada", "Água Mineral", "Ararinha", "Tantinho", além de composições famosas na voz de artistas como Maria Bethânia, Caetano Veloso, Marisa Monte e Nando Reis.

A economista paulistana Solange Sol, fã de Brown, foi até a Faria Lima com a mãe, irmã e amigas para comemorar seu aniversário de 38 anos. Ficou surpresa quando, de cima do trio elétrico, Brown a homenageou com feliz aniversário. — Gosto dele pelas mensagens que ele passa — disse Sol.

Às 13h30, o público presente no evento era de 60 mil pessoas, segundo a organização. A Polícia Militar não fez estimativas. A expectativa dos organizadores era de que, ao final do bloco, 100 mil foliões passassem por ali. Na juventude, Brown tocava percussão numa banda de rock, a Mar Revolto. Trocou o rock pelo axé ao ingressar na Acordes Verdes, liderada por Luiz Caldas, um dos precursores do ritmo. De lá para cá, tocou com Caetano Veloso, participou dos primeiros discos de Daniela Mercury e gravou e compôs com Chiclete com Banana e Asa de Águia, ícones do axé.

Com 15 álbuns lançados, Brown já concorreu mais de 10 vezes ao Grammy Latino - levou duas vezes, em 2003 e 2004, com os álbuns “Tribalistas” e “Carlinhos Brown é Carlito Marrón”. Ao lado de Sérgio Mendes, concorreu em 2012 ao Óscar de Melhor Canção Original pela música “Real in Rio”, do filme “Rio”. É técnico do programa “The Voice Brasil”, da TV Globo, há sete anos. De São Paulo, Brown partirá para uma turnê no arquipélago espanhol das Ilhas Canárias. Em Las Palmas, na segunda-feira, dia 4, participará do baile Gala Gay.