Carnaval

Carnaval 2020 terá mesmo número de dias e reforço do Circuito Osmar, diz prefeito

Folia deste ano contou com investimento total de R$55 milhões, sendo R$27 milhões da iniciativa privada,

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

Mesmo com o fim tão recente do Carnaval 2019, o prefeito de Salvador, ACM Neto, adiantou durante uma coletiva realizada no início da tarde desta quarta-feira (6), algumas novidades da folia do próximo ano.

Foto: Valter Pontes/Secom
Além da garantia da manutenção do número de dias da festa, sendo quatro de pré-Carnaval e seis oficiais, alguns pontos serão melhorados para a edição 2020, afirmou  ACM Neto. As duas principais mudanças para 2020 serão o fortalecimento das atrações no Circuito Osmar (Centro) e avanços na área de mobilidade para dar conta da explosão do número de veículos que tentaram acessar principalmente o Circuito Dodô (Barra/Ondina).

Com investimento total de R$55 milhões, sendo R$27 milhões da iniciativa privada, a quantidade de dias da folia soteropolitana chegou ao limite ideal, de acordo com ACM Neto, que participou da coletiva ao lado do vice Bruno Reis, do secretário municipal de Cultura e Turismo, Cláudio Tinoco, do presidente da Saltur, Isaac Edington, e de todos os dirigentes envolvidos com a realização da maior festa de rua do planeta.

“Não é a Prefeitura quem manda no número de dias de festa. É o folião. Acredito que esse é o tamanho certo, não pode ser maior e nem menor diante dos resultados que a festa traz para a cidade”, disse o prefeito. Somente no pré-Carnaval foram 3,5 milhões de pessoas na rua; a folia nos bairros em dez localidades atraiu 1,5 milhões de foliões; e a estreia da programação no Rio Vermelho reuniu 18 mil pessoas em três dias. Isso só para citar alguns dados.

“Cogitei até mesmo não fazer o Pipoco este ano devido à quantidade de pessoas no ano passado, mas o cantor Léo Santana conversou comigo e fizemos um formato que fosse mais tranqüilo, apenas com o trio e sem a Torre Eletrônica na Barra. Mas, mesmo assim, apenas um artista atraiu uma multidão e tudo ocorreu de forma tranquila. Também tivemos a Praça Castro Alves lotada (projeto Pôr do Sol), a Torre Eletrônica, os bairros. Como tirar a vontade do folião?”, indagou o prefeito.

Consolidação
Para o prefeito, diante dos resultados positivos conquistados em 2019, o desafio é aproveitar o momento do Carnaval para consolidar a cidade como importante destino turístico no Brasil, movimento esse que considera irreversível.

ACM Neto afirmou que o objetivo principal do Carnaval é a movimentação da economia da cidade. Na folia deste ano, foram gerados 250 mil empregos diretos e indiretos, que beneficiam desde a rede hoteleira, passando pela infraestrutura até chegar à população mais pobre, que aproveita para ganhar uma renda como ambulante – em 2019, foram 10 mil trabalhadores contemplados no setor informal pela Prefeitura. Quando à rede hoteleira, a ocupação média foi de 96,3% dos leitos durante o período da festa – o maior número registrado pela cidade nos últimos anos.

Folia no Centro
Para garantir o equilíbrio da festa no próximo ano, o último da atual gestão, o Circuito Osmar será alvo de conversas com empresários, artistas, entidades e Conselho Municipal do Carnaval para que as grandes atrações voltem a se apresentar também no Centro.

Isso porque os blocos de trio migraram praticamente para o Circuito Dodô, o que gera uma sobrecarga de foliões à Barra/Ondina atrás dos artistas de renome. “Garanto que, se não fosse a ação direta da Prefeitura na contratação de artistas, talvez não tivesse tanta gente este ano no Campo Grande. A nossa parte estamos fazendo, mas dependemos também das outras partes envolvidas na festa. Por isso, vamos iniciar logo as conversas para chegarmos à uma solução”, afirmou ACM Neto.


Mobilidade
O prefeito também salientou a necessidade de melhorar a mobilidade nos acessos aos circuitos, devido ao grande volume de veículos, principalmente de motoristas de aplicativos, o que gerou congestionamentos como os registrados na Avenida Centenário, um dos principais acessos ao Circuito Dodô.

“Houve um aumento de 10% do número de pessoas transportadas com relação ao Carnaval do ano passado. O acesso pelo Rio Vermelho teve um incremento de 91% de veículos, comparado a 2018. Na Avenida Bonocô (Mário Leal Ferreira), foram 33% a mais de veículos. Registramos motoristas de aplicativos, inclusive de outras cidades e estados, atuando em Salvador. Vamos pensar para o próximo ano como resolver isso”, complementou.