Carnaval

Carnaval: Atendimentos médicos de 2018 caem em comparação ao ano passado

As principais causas de atendimentos foram intoxicação alcoólica, agressões físicas, cefaleia e dor em membros inferiores

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

A Prefeitura de Salvador divulgou os dados de atendimentos médicos realizados durante os seis dias oficiais do Carnaval. Foram realizados 4953 atendimentos, com redução de 3,5% em relação ao ano passado.

Segundo a prefeitura, o circuito Barra-Ondina respondeu por 63% dos atendimentos; Campo Grande; por 33%, e Batatinha; por 4,4%. O módulo Farol da Barra liderou em número de atendimentos (835), mas registrando uma redução de 21% quando comparado com o ano anterior; seguido pelo da Ademar de Barros (823), Sabino Silva (600), Piedade (567) e Shopping Barra (509).

Do total, 3924 foram clínicos; 382 bucomaxilofacial, 326 ortopédicos, 209 cirúrgicos, e 112 de enfermagem. Houve redução ainda de 34,3% dos atendimentos cirúrgicos e 18,3% de ortopédicos, quando analisados em relação ao ano de 2017 (318 e 399, respectivamente).

As principais causas de atendimentos foram intoxicação alcoólica (488), agressões físicas (454), cefaleia (366), dor em membros inferiores (365), dentre outras. Os atendimentos por agressão física e intoxicação alcoólica reduziram em 23% e 10,8%, respectivamente, em relação ao ano anterior.