Carnaval

Léo Santana arrasta multidão na orla durante o Pipoco

Outra atração do pré-Carnaval, DJ Alok toca em frente ao Farol da Barra

Gil Santos, do Correio 24h
- Atualizada em

Não é feriado, não é Carnaval ainda, mas é dia de Pipoco na Barra, com Léo Santana e o goiano DJ Alok. Pra abrir a festa, claro, a missão é do baiano e anfitrião, Léo. Em mais um ano pintando como uma das principais estrelas da folia baiana, o Gigante começou às 20h a dar uma prévia de como vai atuar na avenida, arrastando um público gigantesco na orla, partindo da entrada do Morro do Gato, em Ondina, em direção ao Farol da Barra. 

Marchinhas no 'esquente'

Enquanto aguardava o início do Pipoco, muitos fãs de Léo dançavam animados ao som de tradicionais marchinhas de Carnaval. Com uma latinha de cerveja balançando em uma das mãos, um homem gritava a plenos pulmões: "Você pensa que cachaça é água? Cachaça não é água, não..."

(Foto: Gil Santos/CORREIO)

Próximo dali, um grupo de homens entoava: "Eu quero saber quem roubou minha cueca pra fazer pano de prato". Mas, aos primeiros acordes do trio, o público voltou a 2018 e começou a “fazer o L”. Um prenúncio da entrada de Léo, que começou o show pontualmente.

Na abertura, o público acompanhou em coro um dos sucessos do cantor. "Não mexe com o Gigante, que o Gigante é brabo. De baile em baile em baile, de quebrada em quebrada, por onde a gente passa deixa uma apaixonada", recita Léo, seguido pelo público.

Santinhas e outras
E as santinhas, claro, marcaram presença. As auréolas brancas se destacam na multidão, fazendo referência a um dos maiores sucessos do cantor.

Um dos pontos altos da abertura do Pipoco foi quando Léo cantou a música da Batederia, quando muita gente resolveu subir e descer até o chão. Foi o caso das amigas Aline Santos e Maísa de Jesus, ambas de 23 anos. Elas saíram de Cajazeiras para participar da festa. As duas contaram que chegaram às 19h, uma hora antes do desfile de Léo, e já chegaram empolgadas. "Vamos ficar até o final. O som de Léo é massa. Ele é maravilhoso. Eu lembro que no ano passado ele desfilou no Furdunço. Esse ano teve um dia só pra ele. Adorei", comentou Aline.

Ela e Maísa, que trabalham em um salão de beleza, começaram a curtir o Carnaval desde o Fuzuê, no sábado. "Estamos de folga esses dias porque o salão é de minha tia. A gente começou no sábado e se tiver fôlego só vamos parar na quarta-feira de cinzas", contou Maísa, entre risos.

A estudante Jaqueline Santos, 22 anos, fez questão de caprichar na produção para o show do seu ídolo. "Eu adoro ele (Léo)", afirmou, empolgada.

Alok no Farol

Ao chegar ao Farol da Barra, final do percurso, Léo Santana encontra o DJ Alok, que dá continuidade à festa.

Já na região do Farol, o fotógrafo Josivan Vieira, 24 anos, que desceu da Graça, estava ansioso pelo show do DJ Alok. A empolgação era dividida com as amigas, as estudantes Monique Lima, 24, e Thaysa Vitório, 17. "Essa é a primeira vez que eu assisto a um show de Alok. Estou animada, mas está muito cheio. No ano passado a gente também veio para o Pipoco. A Timbalada que puxou e foi mais tranquilo", comentou Monique.

Apesar de reclamar do aperto, os amigos contaram que pretendem ir todos os dias para o Carnaval. "Todos os anos eu venho para o Carnaval, todos os dias, e depois vou trabalhar", afirmou Josivan. Quando questionado se vai de virote para o serviço, ele foi rápido na resposta. "É claro", admitiu, aos risos.

 Monique, Thaysa e Josivan aguardam show de DJ Alok no Farol (Foto: Gil Santos/CORREIO)

Para os amigos Natan Souza, 18, e Gabriel Soares, 19, não existe festa melhor na cidade. "Hoje Léo Santana representou. O Carnaval de Salvador é tudo de bom", afirmou Gabriel que, assim como o amigo, mora em Simões Filho, na Região Metropolitana.

Quando questionados sobre qual será a música do Carnaval este ano, responderam cantando um trecho de uma música de Léo: “Eu já tô vendo várias novinhas descendo. Eu já tô vendo várias novinhas descendo..."

Alok, que esteve em Salvador no Festival de Verão e no Festival da Virada, toca na Torre Eletrônica canções como Hear Me Now, Never Let Me Go e Fuego.

Infraestrutura

Uma estrutura especial foi criada para atender ao público na Barra. Perto do Farol, foi colocado um posto da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), aberto até 1h desta quarta. Além disso, 24 linhas de ônibus que atendem a Barra atendem o público em horário prolongado - até 2h de quarta, segundo a Secretaria Municipal de Mobilidade (Semob).