Carnaval

Mulher é retirada do Largadinho por usar abadá falso

A produção do bloco afirmou que só será permitida a permanência dentro das cordas dos foliões que tiverem com o abadá original

Alexandro Mota e Marília Moreira (redacao@correio24horas.com.br)
- Atualizada em

A produção do Bloco Largadinho, que sai nesta segunda e terça-feira sob o comando da cantora Claudia Leitte no Circuito Dodô (Barra-Ondina), identificou, ainda na concentração, próximo ao Hospital Espanhol, uma foliona com um abadá falso.


De acordo com testemunhas, um segurança e um profissional da produção abordaram a técnica de enfermagem Cláudia Xavier, 42 anos, e rasgaram o abadá que ela vestia. Ainda segundo testemunhas, ela foi forçada a sair do bloco e, depois, seguiu para prestar queixa na Delegacia da Barra. Ao ser abordada pelo segurança, a vítima afirmou que havia comprado a camisa com um cambista.

Foto: Jefferson Peixoto/ Agência Haack/ Agecom

Após o episódio, a produção do bloco afirmou que só será permitida a permanência dentro das cordas dos foliões que tiverem com o abadá original. Quem for visto com abadá falso, será retirado do local. A camisa do Largadinho nesta segunda-feira tem as cores preta e rosa e traz o slogan "O que acontece no largadinho, fica no Largadinho", na estampa.Com uma hora de atraso, o trio chegou ao Farol da Barra. O público do camarote Carnaval do Mar - Clube Naval/ Cabana da Barra começou a vaiar o bloco por conta do atraso e do fato de Claudia Leitte não estar cantando em cima do trio.Do camarote, eles começaram a gritar "Ivete, Ivete", contrariados. Já os fãs de Claudia Leitte, que estavam no bloco, começaram a gritar "uhu, p... que pariu, é a melhor cantora do Brasil" e a chamar a cantora para cima do trio. Logo depois disso, por volta das 19h, a cantora deu início ao show.

Correio24horas