Carnaval

Reggae foi destaque do domingo de Carnaval no Pelô

O Pelô foi novamente cenário de grandes encontros e apresentações musicais neste domingo

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em
O Pelô foi novamente cenário de grandes encontros e apresentações musicais neste domingo (15) do Carnaval da Cultura. Entre os vários ritmos que reinaram na folia, o destaque do quarto dia de festa foi para o reggae. O cantor Edson Gomes, em apresentação que marcou o seu retorno ao carnaval baiano, encerrou a programação do dia, que teve também atrações como Sine Calmon, Dionorina, Paulinho Boca, Claudia Cunha e Ana Mametto.
Dando o tom da diversidade musical que caracteriza o Carnaval do Pelô, o cantor Paulinho Boca de Cantor abriu a programação deste domingo de carnaval no Largo do Pelourinho dividindo o palco com as cantoras Jussara Silveira e Anelys Assumpção no show “Gerasons”. “A renovação do carnaval passa pela renovação de sua musicalidade. Fico feliz de poder contribuir esteticamente para a folia com este encontro de gerações e culturas”, declarou o anfitrião Paulinho.
O reggae do recôncavo e o samba-reggae baiano se encontraram no show “Cachoeira, Reggae, Recôncavo”, que trouxe as apresentações dos cantores Sine Calmon e Jeremias Gomes, e da banda Jamaicacachoeira. Para o carnaval deste ano, Sine já vinha aquecendo os motores com o projeto Sexta Reggae no Pelô, no Largo Tereza Batista. Em seguida, reunidos no show Geleia Geral, os cantores Alexandre Leão, Cláudia Cunha e Ana Mametto apresentaram repertório com sucessos carnavalescos de compositores baianos. Os tradicionais foliões pipoca do circuito Batatinha se juntaram aos foliões que voltavam do circuito Osmar, formando um grande público para prestigiar o encontro inédito.
Reggae de raiz - E após mais de cinco anos sem fazer Carnaval em Salvador, subiu ao palco do Largo do Pelourinho, já na madrugada desta segunda-feira (16), o cantor e compositor Edson Gomes. No repertório, clássicos como “Malandrinha”, “Samarina”, “Barrados no Baile”, “Fogo na Babilônia” e “Campo de Batalha” agitaram os foliões que ansiosamente, aguardaram, para curtir e cantar durante todo o show. “Estar neste palco e neste lugar é bastante interessante porque é mais um espaço que se abre para o reggae, principalmente o de raiz, de protesto, de mensagem, que é o que faço. Onde o povo estiver e o meu reggae puder estar presente vou agradecer”, declarou Gomes sobre a apresentação no Carnaval da Cultura.
O reggae também tomou conta do Largo Tereza Batista com a apresentação de Dionorina. O reggaeman homenageou os 70 anos de Bob Marley e apresentou também canções do seu último trabalho, “Nu”, além de sucessos dos seus 40 anos de carreira. A noite no largo ainda contou com o segundo dia do projeto Praça do Frevo Elétrico, com o cantor e compositor Carlos Pitta.
E quem abriu a noite no Largo Quincas Berro D’Água foi o cantor Edu Casanova. O artista se emocionou ao falar sobre sua participação no Carnaval do Pelô. “Eu amo tocar no Pelourinho. Aqui é o lugar da música baiana! É um orgulho estar com a praça lotada, representando meus irmãos, meus parceiros musicais, defendendo a nossa música”, declarou o cantor. Casanova trouxe em seu repertório grandes sucessos como “Cabelo Raspadinho” e “Ilumina”, além de grandes sucessos de outros artistas da música baiana que fizeram o público relembrar os antigos carnavais. Em seguida foi a vez de Gal do Beco transformar o Largo num reduto do samba, agitando o público com repertório que passeou por diversos sambistas da Bahia e do Brasil. O cantor Bonfin Tropical encerrou a noite fazendo homenagem aos 30 anos de axé, mas não deixando de lado samba de roda e marchinhas.
O Largo Pedro Archanjo reviveu a aura e canções dos antigos carnavais com as apresentações da Orquestra Jurema e da cantora Lia Chaves. Confetes, jatos de espuma e marchinhas fizeram com que crianças e adultos de fato brincassem o carnaval.