Carnaval

Vai sair no Carnaval? veja cinco dicas para que tudo ocorra bem

Da Sapucaí aos blocos de rua, saiba como aproveitar seu carnaval sem aborrecimentos

Bárbara Nóbrega, da Agência O Globo
- Atualizada em

Ainda que a empolgação carnavalesca esteja a mil, os foliões devem ficar atentos a como evitar imprevistos e dores de cabeça que possam estragar a diversão de todos. De golpe do cartão de crédito a tarifas muito altas nos táxis e carros de aplicativo , saiba como se programar durante o carnaval para que tudo ocorra bem.


Neste mês, a Federação Brasileira dos Bancos (Febraban) emitiu um alerta para o golpe que consiste na troca do cartão de crédito, que tem causado dor de cabeça a foliões nos blocos de carnaval. Além disso, em casos de violação do direito do consumidor o Procon-RJ vai ter plantão bilíngue durante toda a folia e e-mail específico para problemas relacionados ao carnaval .

Confira as dicas:

Cartão de crédito

A cada ano mais criativos, o golpe do cartão tem sido um dos mais comentados neste ano . Mas como evitar cair no golpe? Uma das alternativas é a de personalizar o cartão. Pode adesivar uma parte dele, de forma a identificá-lo. Porém, muito cuidado ao torná-lo único — para não inviabilizar o cartão, é importante colocar um adesivo ou fita colorida em uma parte dele que não estrague o chip ou que cubra a tarja magnética.

Dinheiro

Para evitar cair em golpes do cartão, os foliões podem optar pelas cédulas. Vale tudo para não ficar no vermelho: podem sair de casa com o dinheiro contado, com a ajuda de clips e post-its em doleiras para evitar furtos. Recomenda-se levar pouco dinheiro, apenas o suficiente.

Documentos

Além do documento de identidade, que é extremamente necessário no caso do folião ter que apresentar algum documento oficial durante um imprevisto, ele também pode escolher levar a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) como forma de identificação.

Roubo ou perda de celular

Para quem tem mais de um aparelho celular, pode optar por carregar o mais simples durante os blocos. De qualquer forma, caso ainda tenha um imprevisto em relação ao celular, a primeira recomendação é que o consumidor se comunique imediatamente com a operadora para o bloqueio do celular seja feito e o número seja incluído no Cadastro Nacional de Estações Móveis Impedidas (Cemi), que impossibilita o uso.Além disso, é importante procurar a delegacia mais próxima e fazer o Boletim de Ocorrência (BO), algo fundamental, por exemplo, para quem tem seguro receber a indenização.

Transporte

Durante a imensa agenda de blocos que invade as ruas, o deslocamento se torna uma tarefa difícil. Caso o folião opte pelo transporte público, é importante lembrar que nos metrôs pode comprar os bilhetes com antecedência para não perder tempo em filas. No caso de se movimentar de táxi ou com carros de aplicativos, os preços nessa época se tornam mais altos. Os aplicativos sobem em função da demanda, o que gera a "tarifa dinâmica". Já os taxistas usam a bandeira 2. Orienta-se que o consumidor confira no GPS a melhor rota. Registrar a placa do carro e os dados do motorista também é recomendável, no caso de segurança.