Coisa de Cinéfilo

Setembro Amarelo: Filmes que ajudam a refletir e falar mais sobre saúde mental

Lista de filmes que falam sobre doenças mentais é grande, envolvendo ótimos longas como Foi Apenas um Sonho, Cake: Uma Razão Para Viver, etc

Marcela Gelinsk*

Neste mês de setembro, nós falamos sobre a campanha do Setembro Amarelo, destinada à prevenção do suicídio. É muito importante que a sociedade normalize falar sobre saúde mental e como todo mundo está passível de sofrer com essas doenças, em algum momento da vida. Quanto mais à vontade nos sentirmos para essas conversas, mais poderemos ajudar quem realmente precisa de suporte. 

Uma das maneiras de normalizar a conversa sobre a temática é acompanhar produções cinematográficas que falem sobre depressão, suicídio, uso de medicamentos controlados, etc. Isso auxilia no processo de remoção do estigma que ainda existe na sociedade, que taxa, em alguns momentos, quem tem questões de saúde mental como loucos. 

A lista de filmes de qualidade que falam sobre doenças mentais é grande, envolvendo ótimos longas como Foi Apenas um Sonho, Cake: Uma Razão Para Viver, Por Lugares Incríveis, O Mínimo Para Viver, etc. Selecionamos abaixo cinco filmes disponíveis em streaming e com gêneros variados para você se aproximar mais da temática!

As Vantagens de Ser Invisível (2012) – Netflix
Este longa trata sobre a depressão na adolescência, tão comum e tão complicada de ser diagnosticada. Qual o limiar entre a depressão de fato e a melancolia natural do jovem que está descobrindo um novo mundo? Aqui acompanhamos Charlie e a jornada de ansiedade e solidão que ele persegue durante o ensino médio. Vemos claramente como a rede de apoio é fundamental quando o tema é saúde mental. 

Ela (2013) – Star+, Globoplay
Em um futuro nem tão distante, acompanhamos Theodore, um homem solitário que enfrenta um divórcio, enquanto lida com a rotina cansativa e tediosa de sua vida. Ele precisa urgentemente estabelecer uma conexão afetiva para sair deste sentimento de torpor e acaba fazendo isso com a inteligência artificial que atua como assistente pessoal virtual. Temas como solidão, dependência e fragilidade são trazidos à luz ao longo da trama. 

Divertida Mente (2015) – Disney+
Sim, esta animação fofa é uma grande aula sobre emoções e saúde mental. Riley é uma garotinha de 11 anos que não lida bem com a súbita mudança de cidade imposta por seus pais. A partir deste fato, começamos a acompanhar o funcionamento de sua cabeça e como as emoções Alegria, Tristeza, Medo, Raiva e Nojinho lutam para assumir o controle mental. Em diversos momentos, a questão da depressão e tristeza profunda são pontuadas na trama, de maneira muito delicada e verdadeira. É uma animação que promove uma ótima reflexão. 

O Lado Bom da Vida (2012) – Prime Video, Globoplay
Pat acaba de voltar para a casa dos pais, depois de passar um tempo no sanatório. Ele perdeu quase tudo: casamento, casa, emprego, e agora terá que recomeçar a vida. No caminho entre aprender a lidar com os remédios controlados e os cuidados emocionais que ainda inspira, ele conhece Tiffany, uma jovem que também sofre de saúde mental e vai mostrar um outro lado da vida que ele estava acostumado. 

As Horas (2002) – Now
Este filme fala especialmente sobre a depressão e como ela pode atingir diferentes pessoas em diferentes momentos de suas vidas. Acompanhando a vida de três mulheres em época diferentes, alternando entre a escritora Virginia Woolf (Nicole Kidman) em 1923, a dona de casa Laura Brown (Julianne Moore) em 1951 e a moderna e independente novaiorquina Clarissa Vaughan (Meryl Streep) em 2001, As Horas nos apresenta a diversas nuances e consequências de uma doença mental não diagnosticada e não tratada.