Conexões e Negócios

Especialista em pesquisas ensina como aplicá-las para alavancar sua empresa

Diego Oliveira lista 5 dicas para quem quer introduzir a pesquisa como estratégia de negócio

Rodrigo Almeida
23/06/2022 às 18h00

5 min de leitura
Foto: Divulgação

A realização de pesquisas organizacionais representa um importante e valioso papel na definição de estratégias com clientes, fornecedores, mercado e colaboradores. Investir em pesquisas – que muitas vezes podem ser vistas como algo custoso e/ou inacessível, otimiza os investimentos da empresa e traz mais assertividade às ações propostas.

Seja pequena, média ou grande empresa, entender sobre a satisfação do cliente, os seus hábitos e expectativas é um dos movimentos que diferencia negócios que agem somente na oferta de produtos/serviços àqueles que constroem relações com os seus públicos.

Segundo dados do Serasa Experian, somente 24% das empresas sobrevivem aos primeiros anos de negócio e, um dos fatores associados aos fechamentos, está no desconhecimento que esses negócios possuem acerca de mercado e público-alvo.

Para falar sobre pesquisa e dicas práticas para serem implementadas por pequenas empresas, convidei o professor e publicitário Diego Oliveira, Sócio-diretor da Youpper Insights, empresa especializada em pesquisas, com atuação em âmbito nacional.

Diego, indo direto ao assunto: quais são hoje as suas principais atuações profissionais?
Olá, Rodrigo! Vamos lá. Hoje atuo principalmente com análises de dados secundários e primários, realização de pesquisa qualitativa e quantitativa, entrevistas pessoais online para criação de narrativas, elaboração de textos, criação de conteúdo sobre consumer & media insights, além de estudos sobre o universo de influenciadores digitais.

Você tem uma grande experiência na realização de pesquisas empresariais, de público e opinião, correto? Pode me falar quais as suas expertises em pesquisa e quais as características de cada uma?
Sim. Ao longo dos anos temos trabalhado no atendimento de pequenas, médias e grandes empresas, sempre adaptando o modelo da pesquisa à necessidade do cliente, ao escopo de trabalho e ao objetivo final. Posso listar aqui:

  • Desk research: com foco em investigar e analisar as principais tendências nacionais e internacionais de diversos segmentos. 
  • Qualitativa
    • Tríades: pesquisa com grupo de 3 pessoas para aplicação de roteiro com foco em investigar, levantar e estudar o nível de opinião, satisfação, imagem etc. do público x marcas e segmentos. 
    • Focus group: realização de pesquisa mediante roteiro elaborado para levantamento de hipóteses e atributos – grupos entre 5 a 7 pessoas ou 8 a 12 pessoas. 
    • EP (entrevista em profundidade): entrevista pessoal presencial ou online com foco em abordar o dia a dia do público desejado e a opinião quanto a marca, produto e/ou segmento. As pesquisas são realizadas com público mais segmentado e formadores de opinião.
    • Pré e pós teste de campanha: metodologia para avaliar a eficácia de peças criativas. O pré e pós teste é aplicado junto ao público de interesse do anunciante, antes de uma campanha chegar aos veículos que compõem o plano de mídia do produto ou serviço.
  • Quantitativa
    • Pesquisas sobre imagem, satisfação, imagem, opinião e hábitos de consumo / serviços e marcas. As pesquisas são realizadas face to face, ponto de fluxo, online ou olhar híbrido. 

Diante de tudo o que expôs, me diga: pesquisa é só para quem tem muito dinheiro ou só para grandes organizações?
A pesquisa é para todos os tipos de empresas, porque tem o papel em minimizar riscos e auxiliar nas tomadas de decisões. Existem várias metodologias e possibilidades para que seja realizada uma pesquisa que atenda a demanda, além de permitir um estudo de dados já existentes nas empresas. 

Quando falamos de pequenos empreendedores, quais pesquisas que podem ser feitas com pouco, ou nenhum investimento? Quais os ganhos?
Para pequenos empreendedores eu sugiro a combinação entre a desk research, minigrupos focais e pesquisa quanti em ponto de fluxo. Quando a gente fala sobre ganhos, temos muitos benefícios, inclusive a possibilidade de uma análise pontual para elaboração de estratégias mais claras e tangíveis. 

Quais vantagens podem ser vistas no curto prazo (em realizar pesquisas)?
O nível de satisfação, imagem e percepção da relação entre consumidor e marca. 

Como especialista, você pode citar 5 dicas para pequenos empreendedores começarem a introduzir a realização de pesquisas na gestão dos seus negócios?

  1. Conheça seu público: esse público representa uma grande oportunidade de negócio devido a facilidade e ao desejo de aquisição. Esqueça o número, saiba trabalhar o lado perceptual. Os dados da sua empresa servem como fonte para geração de insights claros e reais.
  2. Ofereça valor:  apresente produtos de alto valor agregado, inclusive, algumas vezes é necessário praticar preços maiores do que os do mercado. Afinal, o preço não é mais o único fator decisivo na hora da compra, independente da classe social. Investigue quanto vale o seu negócio e qual a percepção do custo aplicado pelo público consumidor e público de interesse.
  3. Crie e oferte experiências emocionais: a criação de experiências positivas com a marca, gera o desejo de retornar ao consumo. Levante quais são as experiências que o seu target valoriza e considera relevantes.
  4. Encante, mas seja claro: os consumidores são, muitas vezes, mal-informados e, portanto, têm menos capacidade de absorção de informações complexas. Ofereça uma mensagem limpa e clara, para o consumo rápido! Fale de acordo com o seu público.
  5. Use a economia da recomendação: o “boca a boca” é importante!

Leia mais sobre Conexões e Negócios no ibahia.com e siga o portal no Google Notícias