Combate a Fake News

Saiba quais são as principais fake news espalhadas no Brasil sobre a Covid-19

Pesquisa realizada pela Escola Nacional de Saúde Pública indica que o número de fake news no país relacionados a pandemia tem crescido

Especial de Conteúdo

Oferecimento
Um estudo conduzido por pesquisadores da Escola Nacional de Saúde Pública, da Fiocruz, identificou as principais fake news relacionadas à Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. A pesquisa ainda indica que o número de fake news no país relacionados a pandemia tem crescido.

De acordo com o estudo, 65% das fake news analisadas entre 17 de março e 10 de abril ensinavam métodos caseiros para prevenir o contágio da Covid-19, além de outras 20% que mostravam métodos caseiros para curar a doença. Os pesquisadores ainda identificaram 5,7% de fake news que se referiram a golpes bancários, 5% que fizeram menção a golpes sobre arrecadações para instituição de pesquisa e 4,3% que indicam que o novo coronavírus é uma estratégia política. 

Na segunda fase do estudo divulgado pela Fiocruz, que corresponde ao período entre 11 de abril e 13 de maio, foi observado um crescimento no volume de fake news questionando a origem do agente responsável pela infecção respiratória covid-19 e indicando ser uma estratégia política: saltou de 4,3% para 24,6%.

Os resultados referentes ao intervalo entre abril e maio mostram ainda que 5,8% das notícias falsas ensinam métodos caseiros para curar a Covid-19, 5,8% afirmam que o novo coronavírus foi criado em laboratório, 4,3% declaram o uso de ivermectina como cura para a doença, 4,3% são contra o uso de máscaras e 2,9% difamam os profissionais de saúde.

Prejuízo

Um relatório técnico do CEPDES (Centro de Estudos e Pesquisas em Emergências e Desastres em Saúde), também da Fiocruz, indicou que o compartilhamento de fake news prejudicou na adoção do isolamento social e, consequentemente, na contenção da pandemia.

“Uma guerra nas redes sociais envolvendo informações enganosas, ambíguas e falsas além das consequências negativas para a saúde pública, prejudicaram a adesão a medidas de distanciamento social”, diz o relatório divulgado em maio. 

Combate ao Fake

Para ajudar no combate a divulgação e reprodução de fake news, o Governo da Bahia abriu seus perfis oficiais para receber denúncias da população sobre notícias falsas veiculadas nas redes socais e até mesmo na imprensa.

Através dos canais oficiais do governo, do WhatsApp (71) 9 9646-4095 e do site Bahia Contra o Fake é possível, além de denunciar, tirar dúvidas sobre informações que circulam pela internet. O objetivo do governo é garantir à população o acesso à informação, com qualidade e segurança.