Coronavírus

Comitê europeu confirma relação entre vacina da AstraZeneca e coágulos raros

No entanto, equipe reafirmou que o benefício da vacina supera o risco

Redação iBahia
- Atualizada em

A suspeita de que a vacina da AstraZeneca, em parceria com a Oxford, teria relação com casos de coágulos foi confirmada nesta quarta-feira (7) pelo comitê de segurança da Agência de Medicamentos Europeia (EMA). De acordo com o grupo, o imunizante pode causar eventos trombóticos raros, mas reafirmou que os benefícios superam os riscos.

O comitê estudou 62 casos de coágulos no cérebro e 24 casos de trombose no abdômen. Desses, 18 resultaram em óbito. Ao todo, cerca de 25 milhões de pessoas já tomaram a vacina na União Europeia e no Reino Unido. A AstraZeneca é uma das duas vacinas que estão sendo aplicadas no Brasil até então.

Com isso, a agência informou, através da diretora-executiva, Emer Cooke, que irá adicionar a possibilidade de coágulos e baixa nas plaquetas na lista de possíveis efeitos colaterais do imunizante. Mas reafirmou que a orientação da EMA segue a mesma: a vacina deve continuar sendo aplicada em todas as faixas etárias.