Coronavírus

Coronavírus: por que priorizar a máscara N95/PFF2?

Modelo apresenta 94% de filtragem e já foi adotado em países da Ásia e Europa

Malu Vieira* (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

Conhecida no exterior como N95, as máscaras PFF2 vêm sendo cada vez mais procuradas por quem quer se prevenir contra o novo coronavírus. Seu uso é recomendado em países como Alemanha, França e Coreia devido à sua alta capacidade de filtragem e boa adequação ao rosto. 

Para te ajudar a entender o motivo e como devemos utilizar a PFF2, o portal iBahia entrevistou o pesquisador, doutor em engenharia biomédica e integrante do Observatório Covid-19 no Brasil, Vitor Mori. 

  • Por que o modelo PFF2 deve ser utilizado?

O pesquisador Vitor Mori explica que o principal meio de transmissão da covid-19 é através da respiração de partículas suspensas no ar. Quando alguém tosse, espirra ou fala, são emitidas partículas pequenas e flutuantes. Se estivermos próximos, as chances de respirarmos essas partículas são bem grandes. E é aí que a PFF2 entra como método de proteção.

“Para haver proteção nesse tipo de situação, precisamos de máscaras de melhor qualidade e que estejam mais vedadas ao rosto, como é o caso da PFF2”, afirma Mori sobre o modelo com capacidade de filtragem de 94%.

Não é à toa que diversos países já aderiram a esse tipo de máscara. Na Ásia, continente que lidou da melhor forma com a pandemia, a PFF2 foi adotada há bastante tempo. Um exemplo é a Coreia, que desde abril de 2020 as distribui para a população. Na Alemanha, a região da Baviera, no sudeste do país, só permite o uso deste modelo. 

  • O que torna esse modelo mais seguro?

A PFF2 consegue filtrar pelo menos 94% de partículas de 0,3 mícrons - ou seja, partículas muito pequenas e imperceptíveis a olho nu. Isso aumenta a dificuldade da máscara em filtrar o vírus, caso não haja um bom sistema de bloqueio.

Para atingir esse índice, a PFF2 possui duas camadas de filtro: uma mecânica e outra eletrostática, o que torna a proteção muito mais forte do que as máscaras descartáveis e de tecido. Além disso, ela se adequa muito bem ao formato do rosto, impedindo que o ar entre e saia pelas laterais.

Máscara N95/PFF2 | Reprodução/Pixabay
  • Quando devo usar esse tipo de máscara?

A PFF2 pode ser utilizada por mais tempo, até 8 horas seguidas. Ela deve ser utilizada em ambientes de maior risco de contaminação, como locais fechados, pouco arejados e com aglomeração ou com exposição por um longo período de tempo.

Além disso, Vitor Mori também sinaliza a importância do uso deste modelo para o grupo de risco.

 “Eu sempre digo que o importante é ficar em casa o máximo possível e a PFF2 só deve ser utilizada nestas situações mais extremas. Ela também pode ser usada por pessoas idosas ou com comorbidades e por aqueles que convivem com elas”, pontua o pesquisador. 

  • Como devo cuidar da máscara?

De acordo com Vitor Mori, a máscara PFF2 exige alguns cuidados e bastante atenção. Após o uso, ela deve descansar em um local seguro, arejado e sem sol por, pelo menos, três dias. Não se pode passar álcool e nem lavar a máscara.

Para quem precisa utilizá-la mais de uma vez durante a semana, é necessário ter mais de um modelo para que possa ser feito um revezamento entre elas.

  • Quantas vezes posso utilizar a mesma máscara?

Segundo Mori, não existe um número correto para esta pergunta, tudo depende do estado de conservação da máscara: se possui rasgos, sujeiras ou se está folgada.

“É importante observar o material. A manta filtrante deve estar em boa qualidade, não pode ter nenhum rasgo ou camada solta. Também é importante ficar atento à vedação. Se a máscara não estiver mais se adequando ao rosto, é hora de trocar”, detalha o pesquisador.

  • Como saber se a máscara é verdadeira?

Com a maior procura, acabam surgindo também as falsificações. Mas a notícia boa é que descobrir se a sua PFF2 é verdadeira é uma tarefa fácil, pois elas precisam ser regulamentas para serem vendidas.

“Essas máscaras são regulamentadas, então elas possuem o selo do Inmetro e o certificado de aprovação, que é um número rastreável. O indicado é que você confira na internet se o número que vem na embalagem da sua PFF2 condiz com o produto que você adquiriu”, afirma Mori. 

*Sob supervisão da repórter Isadora Sodré