Coronavírus

Covid-19: Brasil fechará fronteiras aéreas para seis países da África

Decisão leva em consideração o surgimento da nova variante da covid-19

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br )
- Atualizada em

Seguindo orientações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o governo brasileiro decidiu restringir voos de países africanos por conta do surto da nova cepa do coronavírus, Ômicron. A medida foi anunciada pelo ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, em uma rede social. 

A decisão foi tomada pelo grupo interministerial formado pelas pastas da Saúde, Casa Civil, Justiça e Infraestrutura. A restrição passageiros vindos da África do Sul, Botsuana, Eswatini, Lesoto, Namíbia e Zimbábue. 

"O Brasil fechará as fronteiras aéreas para seis países da África em virtude da nova variante do coronavírus. Vamos resguardar os brasileiros nessa nova fase da pandemia naquele país. Portaria será publicada amanhã e deverá vigorar a partir de segunda-feira", publicou o ministro na rede social. 

A lista de países é similar à divulgada pelos Estados Unidos na tarde desta sexta-feira (26). A diferença, no entanto, é que as fronteiras americanas também estarão fechadas para passageiros oriundos de Moçambique e do Malawi. 

A Anvisa informou que só vai se manifestar após a publicação das regras no "Diário Oficial". Portaria deve ser publicada neste sábado (27). 

Variante Ômicron 

A nova cepa foi detectada pela primeira vez na África do Sul. A Organização Mundial da Saúde (OMS) classificou a variante como "preocupação". O mesmo foi alertado pelo Ministério da Saúde brasileiro, que emitiu um alerta sobre a nova mutação.

O temor de especialistas é a possibilidade de uma cepa ainda mais transmissível e que possa escapar da proteção oferecida pelas vacinas existentes até o momento.