Coronavírus

Efeitos da pandemia: ortodontista explica como a tensão pode prejudicar os dentes

Ortodontista Candice Belchior aponta sinais que podem ser percebidos antes que situação se agrave

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

A pandemia do novo coronavírus afetou de diversas formas a saúde das pessoas. Com a saúde bucal, não foi diferente. De acordo com a ortodontista Candice Belchior, neste período, houve um aumento da demanda, entre seus pacientes, relacionado a episódios de bruxismo e quebra dos dentes, que podem ser desencadeados devido à tensão provocada por momentos de estresse. 

“Muitas pessoas deixaram de fazer consultas de rotina regularmente e estiveram mais expostas a notícias que trazem um desconforto emocional grande. Este pode ter sido o responsável pelo aumento de relatos de bruxismo no consultório nos últimos meses”, aponta a ortodontista. 

O bruxismo, mais conhecido como ranger os dentes, também se manifesta como o ato de apertar dos dentes durante o sono. De acordo com Candice, esta disfunção temporomandibular é uma doença de cunho psicossomático muito forte, ou seja, é desencadeada quando há o fator psicológico envolvido. “Quando os pacientes estão muito estressados, ansiosos, com problemas pessoais ou quando a rotina muda muito, esse fator psicossomático aumenta. A manifestação clínica que percebemos é o desgaste dentário, trincas, quebras e até mesmo a fratura”, afirma. 

Saúde bucal em tempos de pandemia | Foto: divulgação / Assessoria de Imprensa 

Alguns sinais de que algo não está normal e que podem ser observados pela própria pessoa são: a qualidade do sono, cansaço, dores de cabeça e dores musculares na face, principalmente na manhã ao acordar. Os cônjuges, namorados ou os pais do paciente também podem ser aliados na descoberta. “Muitas vezes a outra pessoa consegue ouvir o barulho que se faz ao ranger os dentes e isso ajuda a identificar o problema”, aponta a dentista.  

Tratamentos 

Para administrar a doença, há tratamentos paliativos que ajudam a diminuir os impactos nos dentes, como a utilização de placas de bruxismo, que têm a função de proteger contra o apertamento e o desgaste dos dentes. A aplicação da toxina botulínica também pode ser uma opção, já que ela paralisa determinados músculos da mastigação.  

Candice informa que é preciso atuar com outros profissionais, como fisioterapeutas, psicólogos, homeopatas, visando remover a causa do estresse e da ansiedade.  Ela também indica criar o hábito da profilaxia do sono, evitando o uso de telas e procurando relaxar antes de dormir, para diminuir a sensação de apertar os dentes.   

A ortodontista ressalta a importância de ir regularmente ao consultório para acompanhar a situação, evitando que ela se torne mais complexa. “Ao perceberem qualquer sinal fora do comum, os pacientes devem procurar um profissional para diagnosticar e dimensionar a gravidade do problema. Quanto antes isso acontecer, melhor para prevenir e tratar de forma menos invasiva”.