Coronavírus

Empresas negociam compra de 33 milhões de vacinas para funcionários e familiares

Segundo o andamento das negociações, o MS deve liberar a importação das doses mediante algumas condições

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

Empresas privadas brasileiras estão negociando com o Ministério da Saúde (MS) uma autorização para comprar 33 milhões de doses da vacina de Oxford e AstraZeneca. Segundo o andamento das negociações, o MS deve liberar a importação das doses para combater o coronavírus mediante algumas condições. As informações são da coluna Painel da Folha de S. Paulo.

As empresas em questão são Vale, Gerdau, JBS, Oi, Vivo, Ambev, Petrobras, Santander, Itaú, Claro, Whirlpool e ADN Liga. É possível que a quantidade de empresas envolvidas na negociação para compra coletiva aumente.

Dentre as condições solicitadas estão o acordo de que metade das doses sejam doadas ao Sistema Único de Saúde (SUS). A outra parte seria usada pelas empresas para distribuir entre funcionários e familiares. 

Caso fechado o acordo, as doses da vacina podem chegar ao Brasil ainda em fevereiro, custando US$ 23,79 cada.

Vale lembrar que no início do mês o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, afirmou que a prioridade para compra de vacinas seria do SUS e que a aquisição por parte de empresas só poderia ser feita "uma vez supridas" as demandas do sistema.