Coronavírus

Pneumonia por Covid-19: entenda como o vírus atinge o pulmão

Pesquisa mostrou que as inflamações oriundas do coronavírus concentram-se em maior número e em áreas menores dos pulmões

Redação iBahia
- Atualizada em

A pneumonia é uma das possíveis complicações decorrentes da Covid-19. A doença pode se manifestar como consequência das lesões nos pulmões provocadas pelo coronavírus (Sars-CoV-2). Neste caso, a inflamação pode permanecer por mais tempo no organismo em comparação com as pneumonias provocadas por bactérias, fungos e outros vírus. 

Estudo inédito realizado por pesquisadores da Universidade Northwestern, nos Estados Unidos, comparou células imunológicas de pulmões infectados pelo Sars-CoV-2 e por outros agentes infecciosos. A pesquisa mostrou que as inflamações oriundas do coronavírus concentram-se em maior número e em áreas menores dos pulmões. 

Ainda de acordo com a pesquisa, o Sars-CoV-2 apropria-se das células imunológicas e as utiliza para disseminar a doença por um período maior de tempo, o que é apontado como o principal fator de agravamento do quadro clínico dos pacientes com Covid-19. Com o pulmão vulnerável por conta do coronavírus, o organismo fica suscetível a outras infecções.

A pneumonia é diagnosticada em pacientes com a forma grave da Covid-19. De acordo com dados do Ministério da Saúde, 40% das pessoas contaminadas apresentam sintomas leves, outros 40% desenvolvem a forma moderada e cerca de 15% têm sintomas mais graves, incluindo a pneumonia, sendo necessário o suporte de oxigênio. A forma crítica atinge cerca de 5% dos pacientes, que exigem cuidados intensivos.

Foto: Robina Weermeijer/Unsplash
  • O que é a pneumonia?

A doença é uma inflamação que atinge os pulmões decorrente de diferentes agentes infecciosos, como bactérias, fungos, vírus - incluindo o coronavírus - e substâncias tóxicas. Antes mesmo da pandemia da Covid-19, a pneumonia já era motivo de preocupação. De acordo com o Ministério da Saúde, é a terceira doença que mais provoca mortes no país, atrás apenas de infarto agudo do miocárdio e de acidente vascular cerebral (AVC).

Entre o público infantil, a pneumonia é ainda mais preocupante. A doença é a principal causa de morte de crianças com idade até 5 anos, segundo informações da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT).

Assim, além das crianças, estão entre o grupo de risco os idosos, as mulheres grávidas, fumantes, pessoas com doenças crônicas ou aquelas que comprometem o sistema imunológico, como câncer, diabetes e Aids.

  • Sintomas e diagnóstico

Os principais sintomas da pneumonia são tosse, dor no peito, febre e falta de ar. A orientação é que, em caso dessas manifestações, o paciente procure atendimento médico. O diagnóstico é feito por análise clínica e auxílio de exames de imagem como tomografia computadorizada. 

No caso dos pacientes com Covid-19, os exames de imagem são fundamentais para identificar a gravidade das lesões nos pulmões. Por meio da tomografia computadorizada do tórax é possível avaliar de forma mais detalhada a estrutura do órgão, o que é importante para definir o tipo de tratamento que será adotado.

  • Tratamento e prevenção

A pneumonia é tratada de acordo com o agente causador da inflamação. Podem ser adotados antibióticos para combater a inflamação por bactérias e antifúngicos contra fungos, por exemplo. Em casos mais graves, pode ser necessário o suporte de aparelhos para oxigenação e o acompanhamento com fisioterapia respiratória.