Coronavírus

Vacina contra covid-19: saiba como será o cadastro para pessoas com comorbidades

Após a conclusão da segunda etapa de imunização, com idoso acima de 60 anos, Salvador irá passar para a terceira etapa

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

Após a finalização da segunda etapa de vacinação, que compreende à imunização de idosos de até 60 anos, pessoas com comorbidades serão vacinadas na terceira fase em Salvador.

A nova etapa contempla pessoas, com 18 a 59 anos, que possuem comorbidades e doenças crônicas. Clique aqui e confira a lista das doenças que pertencem à esta lista.

Para alcançar este público, a Prefeitura de Salvasor lançou o site www.comorbidades.saude.salvador.ba.gov.br, voltado para pacientes atendidos em unidades particulares de saúde, residentes de Salvador. De acordo com o prefeito, cidadãos atendidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS) já possuem cadastro.

O preenchimento dos dados será feito pelo médico que acompanha o paciente. O profissional de saúde deve entrar no link com os mesmos login e senha usados no Conselho Regional de Medicina do Estado da Bahia (Cremeb) e fazer o próprio cadastro.


A etapa seguinte é inserir os dados pessoais do paciente e selecionar em qual comorbidade o paciente se enquadra, conforme as definições do Plano Nacional de Operacionalização da vacinação para prevenção do Sars-CoV-2 – essas diretrizes também podem ser consultadas na portaria municipal 170/2021.

Feito isso, o paciente estará cadastrado e se incluirá nos grupos com comorbidades para a imunização. Esses dados se somarão ao quantitativo de pacientes atendidos no SUS

Confira ordem de vacinação por comorbidade
A Comissão de Intergestores Bipartite (CIB), que reúne representantes das secretarias municipais e estadual de saúde, definiu a ordem de escalonamento dos grupos na Bahia, levando em conta o risco de exposição dos pacientes à Covid-19.

Os números de indivíduos de cada grupo levam em consideração apenas quem é assistido no SUS, devendo crescer mediante o cadastramento de pacientes atendidos na rede privada.

  1. Doenças renais crônicas em tratamento de hemodiálise (9.845 pessoas)
  2. Síndrome de Down (3.793)
  3. Transplantados (1.721)
  4. Imunossuprimidos (27.027)
  5. Pessoas com outras doenças renais crônicas (4 mil)
  6. Pneumopatias crônicas graves (212.457)
  7. Doenças cardiovasculares (78.270)
  8. Obesidade mórbida (17.051)
  9. Doença cerebrovascular (41.615)
  10. Doenças hepáticas crônicas/cirrose hepática (4.846).