Arte e Decoração

Afeto e memórias: veja como decorar a casa com elementos que contam sua vida

Objetos que trazem memória afetiva ao lar podem ser uma forma de renovar o ambiente

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

O momento da quarentena pode inspirar a fazer mudanças. Uma dessas é na decoração da casa, agora que todos que cumprem o isolamento social ou não precisam trabalhar fora passam mais tempo dentro do lar. Um dos caminhos para a mudança pode ser através de nossas memórias e lembrança afetiva.

“Nossa casa precisa emanar a conexão com nossas vidas. Para isso, a decoração precisa transmitir emoção e memórias”, explica Mariana Rodrigues, designer de interiores. Peças herdadas de família ou que remetam a momentos leves da vida – como objetos trazidos de uma viagem, por exemplo – se tornam bons aliados na hora de compor um estilo repleto de sentimentos.

Confira abaixo dicas separadas pela designer de interiores para a composição de uma nova decoração para casa.

1) Elementos que compõe a decoração afetiva

Móveis antigos, louças, fotografias, lembranças de viagens e até coleções são ingredientes importantes na hora de planejar uma decoração afetiva. 

Mas e se o item não estiver em bom estado? Nesse caso, a solução é fazer uma avaliação em relação à estrutura e, em seguida, investir nos reparos necessários. E pode ser mais simples do que se imagina! Troca de estofados de uma cadeira, puxadores de uma cômoda, tecidos ou pintura nova, já fazem toda a diferença no visual.

2) Faça você mesmo

Em tempos de quarentena, que tal tirar um dia para reunir a família e rever fotos antigas, objetos guardados e avaliar quais móveis podem ser reaproveitados? Esses momentos são muito valiosos e ainda podem resultar em uma repaginada na decoração. Assim, reserve um cantinho especial no quarto, na sala de jantar, no living ou na varanda para receber esses elementos.

3) Cores e plantas

Além do mobiliário e dos objetos, cores e plantas têm o poder de deixar os cômodos mais acolhedores. Escolher as tonalidades certas a serem aplicadas em cada ambiente, seguindo as tendências e a personalidade dos moradores, é uma boa estratégia.

O azul e o verde, por exemplo, remetem à tranquilidade e ao frescor, por isso, podem ser aplicados nos quartos, banheiros, salas de estar. Já os tons mais vibrantes como amarelo, vermelho e laranja, que estimulam a criatividade e a comunicação, são mais indicados para a cozinha, escritório e sala de jantar. Os tons neutros como branco e marrom podem ser usados em qualquer ambiente da casa, podendo ser combinados com outras paletas.

Trazer a natureza para dentro do imóvel é uma boa saída para enaltecer o conforto e a sensação de frescor. “Urban jungle é tendência na decoração! Monte um cantinho com vasos de plantas variadas para garantir ar puro e inspiração”, diz Mariana Rodrigues.

4) Uma decoração cheia de vantagens

Reaproveitar móveis e objetos afetivos ainda pode ser uma atitude sustentável! “Além de diminuir o excesso de consumo, há uma redução do impacto ambiental, presente em qualquer descarte”, afirma a designer.

Organizar um garimpo dentro de casa, buscando aqueles itens esquecidos no fundo de armários, abandonados à ação do tempo, pode gerar boas descobertas. Afinal, nós sempre temos um arsenal de coisas guardadas que não damos o devido valor. “A quarentena é o momento perfeito para investir em um a decoração afetiva que estimule ótimos dias em família, criando distrações produtivas”, finaliza a profissional.