Brasil

Alunos da FGV pedem expulsão de estudante acusado de racismo

Estudante que compartilhou a mensagem foi suspenso por três meses

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

Na tarde desta segunda-feira (12), os alunos da Fundação Getúlio Vargas (FGV) protestaram para pedir a expulsão do aluno que compartilhou uma foto no WhatsApp e chamou o colega negro de escravo. "Achei esse escravo no fumódromo! Quem for o dono avisa!", disse ele.

Foto: Reprodução/ Facebook

Na última terça-feira (6), a coordenação do curso de Administração comunicou que recebeu a denúncia de um aluno do 4º semestre. O estudante, João Gilberto Lima, também registrou uma queixa por injúria racial no 4º Distrito Policial da Consolação, em São Paulo. 

Dois dias depois do comunicado a FGV informou que iria suspender o estudante por três meses, pois ele havia enviando a mensagem "com uma possível conotação racista". Por conta disso, o coletivo negro '20 de novembro FGV' realizou o ato 'Não temos dono'. O objetivo principal era o posicionamento quanto à expulsão do aluno que proferiu as ofensas e promover debates de combate ao racismo no ambiente universitário.