Mundo

Após polêmicas, SeaWorld encerra shows com orcas nos EUA

Documentário Blackfish denunciou maus-tratos e impactou de forma negativa a imagem da empresa

Redação Correio 24h (redacao@correio24horas.com.br)

Após anos de críticas e polêmicas envolvendo supostos maus-tratos, a rede de parque temáticos SeaWorld decidiu acabar com as apresentações com orcas no parque de San Diego, no Estados Unidos. A empresa informou que, a partir de 2017, vai substituir os famosos números por uma atração 'informativa'."Não somos apenas um animal, não somos apenas uma exibição, não somos apenas uma atração", disse o diretor-geral Joel Manby, em uma reunião com investidores transmitida pela internet. "Estamos num processo de ouvir nossos clientes e estamos evoluindo como empresa", garantiu.A SeaWorld se tornou alvo de críticas após a estreia do documentário 'Blackfish', que denunciou em 2013 os maus-tratos sofridos pelas orcas do parque, que vivem em cativeiro dentro de tanques reduzidos e com pouca iluminação.Além disto, os animais eram submetidos a treinamentos difíceis para participar dos famosos shows nos parques temáticos da rede. Desde então, o impacto negativo do documentário afetou o número de visitantes dos 11 parques espalhados pelos EUA caíram drasticamente.O parque de San Diego foi o mais afetado. Apesar do anúncio do fim dos shows, a organização Peta (Pessoas pelo Tratamento Ético dos Animais) afirmou que isto não é suficiente, e que a SeaWorld deveria liberar as orcas do cativeiro.A própria lei na Califórnia, onde o parque de San Diego fica, caminha para mudanças. O legislador Adam Schiff garantiu que pretende introduzir um projeto de lei que vai proibir a permanência de orcas em cativeiro, além de controlar a reprodução desta espécie de animais na Califórnia."A evidência sobre o dano físico e mental para estes animais maravilhosos excede em muito qualquer benefício obtido a partir de seus shows. "Nós não podemos defender o nosso próprio ambiente e difundir mensagens sobre a importância de preservar o bem-estar dos animais quando nosso comportamento não reflete nossos princípios", disse o político para a agência France Presse.

Correio24horas