Tecnologia

Apple é processada por 'desacelerar' celulares antigos a cada atualização

Segundo empresa, isso serve para garantir uma boa vida útil à bateria do usuário

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

A Apple tem sofrido grandes ataques nesse final de ano. O que acontece é que a empresa assumiu que, sim, deixa os iphones antigos mais lentos a cada nova atualização. Mas calma: segundo ela, isso serve para garantir uma boa vida útil à bateria do usuário. Tudo é realizado através da diminuição do clock do processador. Não entendeu? Calma. Explicamos logo abaixo.

Foto: Reprodução

O processador é o cérebro de qualquer dispositivo eletrônico, então é mais fácil fazer essa relação. Quando alguém sente dor de cabeça, geralmente se sente mais devagar, cansado. Assim, a força (clock) é diminuída e o que sobra é direcionado para funções prioritárias, como comer, focar no trabalho ou estudar. O mesmo acontece com o iPhone: com o clock (força) diminuído, ele passa a direcionar os esforços para as prioridades, como rodar bem o sistema.

Em um teste realizado por um usuário do Twitter, foi apontado que o clock de fábrica do iPhone 6 era de 1400MHz, mas que três anos de uso (e de atualizações) reduziram esse valor para 600MHz. Assim, um sistema que utilizava 400MHz e deixava 1200MHz livre, passou a utilizar 450MHz e deixar 150MHz livres. Agora deu para entender o motivo do WhatsApp travar tanto?

O que irritou os usuários, entretanto, não foi a técnica, mas a empresa não ter avisado sobre a realização da desaceleração. E é por esse motivo que alguns clientes entraram com um processo com a Apple.

Em Chicago, por exemplo, um coletivo de cinco pessoas levou o caso à justiça, alegando que a empresa aplica práticas 'imorais e antiéticas' em seus aparelhos e que isso fere a defesa do consumidor, além de forçar a compra de novos aparelhos. Vale lembrar que já havia a suspeita quanto à prática, mas nada confirmado oficialmente.