Saúde

Aprenda a diminuir o colesterol do seu filho mudando a alimentação

Para que os níveis de colesterol estejam controlados, é preciso que crianças e adolescentes tenham menos do que 170 mg/dl (miligramas por decilitro) para colesterol total

Evelin Azevedo, da Agência O Globo
- Atualizada em

Com o aumento dos casos de obesidade infantil, é cada vez mais comum observar crianças e adolescentes com níveis de colesterol altos. Este composto orgânico produzido pelo fígado e também adquirido por meio da alimentação é essencial para o bom funcionamento do corpo, mas seus excessos são perigosos para a saúde.

Para que os níveis de colesterol estejam controlados, é preciso que crianças e adolescentes tenham menos do que 170 mg/dl (miligramas por decilitro) para colesterol total, menos que 110 mg/dl de colesterol LDL (ruim) e mais que 45 mg/dl de colesterol HDL (bom).

"O aumento do colesterol infantil pode ser causado por diversos fatores, como hábitos alimentares irregulares, problemas genéticos e endócrinos. Porém, a inadequação alimentar aliada ao sedentarismo infantil se caracterizam como os mais prevalentes", explica Tarciana Teixeira, nutricionista materno infantil da Clínica Penchel.

Produtos industrializados e ultraprocessados como os biscoitos — tão comuns na alimentação infantil — são ricos em açúcares, gorduras e sal, que aumentam a concentração de colesterol ruim na corrente sanguínea, que, quando em excesso, passa a se acumular nas paredes das veias.

"A má alimentação realizada na merenda escolar é uma das grandes causas do aumento do colesterol nas crianças. Para esta preparação, os pais devem priorizar alimentos in natura ou preparados em casa", orienta Haline Dalsgaard, nutricionista materno infantil da clínica Infanti. Saiba como preparar uma lacheira saudável para o seu filho, clique aqui.

No processo de reeducação alimentar da criança, a família é fundamental, já que os filhos se espelham nos hábitos alimentares dos pais. Para crianças muito seletivas para verduras e legumes, Haline dá uma dica:

"É bom colocar estes alimentos “embutidos” nos pratos, como em um suflê, uma panqueca que leve a verdura na massa ou até no arroz incluindo um chuchu picado, por exemplo".

O que comer

Frutas, legumes e verduras
Alimentos como frutas, verduras e legumes são ricos em fibras, componente que ajuda a diminuir os níveis de colesterol. Sempre que possível, é indicado comer as frutas com cascas pois nelas há maior concentração de fibras

Aveia
É um cereal rico em fibras, que além de inibir a absorção de gordura pelo organismo, ainda melhora os níveis de glicemia no sangue

Alimentos integrais
Inclua no cardápio do seu filho o máximo de alimentos integrais. Eles são ricos em fibras que ajudam a diminuir os níveis de colesterol

Leite desnatado
Este tipo de leite oferece a mesma quantidade de cálcio que os comuns, mas é uma versão com menos gordura, o que ajuda a combater a produção de colesterol

Peixes
Os peixes como salmão, atum e truta são ricos em ômega 3, um tipo de gordura boa que ajuda a diminuir o colesterol e a evitar que ele se acumule na parede das veias

Oleaginosas
Alimentos como castanhas e nozes são ricas em gorduras boas que ajudam a diminuir o colesterol ruim