Arte e Decoração

Arquiteta apresenta dicas para melhorar o isolamento acústico da casa

De acordo com a arquiteta Isabella Nalon, algumas medidas podem e devem ser tomadas para ampliar o bem-estar acústico dos imóveis e tornar a casa mais silenciosa

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br )

Cansado (o) de sofrer com os barulhos externos da vizinhança? Precisa parar de incomodar os vizinhos? Se respondeu sim para uma dessas perguntas, uma decoração que invista em melhorar o isolamento acústico da casa pode ser a solução. De acordo com a arquiteta Isabella Nalon, algumas medidas podem e devem ser tomadas para ampliar o bem-estar acústico dos imóveis e tornar a casa mais silenciosa. 

A profissional esclarece que, para iniciar o projeto de isolamento acústico, seu primeiro passo é entender a necessidade do cliente e qual o grau de privacidade desejado. “Todos esses pontos são essenciais para trabalharmos no desenvolvimento das soluções para contornar ou extinguir o som externo, assegurando a proteção acústica ideal”, detalha. 

O projeto é feito de acordo com a necessidade e o grau de ruído que o ambiente suporta. Em áreas de alta permanência, como sala de estar e dormitórios, o silêncio é primordial para o descanso, relaxamento e concentração, como no caso dos home offices. Já em ambientes de passagem e de pouca permanência, os cuidados podem ser menores, abrindo espaço para o investimento em outras melhorias.

Projeto: Isabella Nalon/Foto: Julia Herman

“Cômodos vazios ocasionam reverberação e as escolhas certas na decoração colaboram positivamente”, conta a arquiteta. Segundo ela, o mobiliário contribui para amortecer a propagação do som e, quanto mais pesados e robustos, melhor. Elementos decorativos como almofadas e tecidos também funcionam como redutores de ruído nos ambientes, pois abafam as ondas sonoras. 

No quarto, a cabeceira estofada vai muito além da estética, já que também atenua o som e ajuda para um sono mais tranquilo. Para o piso, a arquiteta indica utilizar tapetes e carpetes mais encorpados. 

Ruídos de fora para dentro

Quando o barulho vem de fora, o ideal é instalar borrachas “veda frestas” nas janelas que, além abafarem o som, auxiliam na contenção do vento, poeira e partículas presentes em endereços com intensa movimentação de carros e ônibus. Todavia, quando apenas a borracha não é suficiente, considera-se também a adoção de esquadrias de PVC ou alumínio, bem como camadas duplas ou triplas de vidro. A instalação de cortinas encorpadas ou em camadas são benéficas para finalizar a área das janelas.


Barulho excessivo

Nas paredes de alvenaria, a arquiteta relata a possibilidade de instalar uma segunda ‘camada’ de drywall que na parte ‘oca’ ainda incorpore isolantes como lã de rocha ou de vidro. 

Vizinho é o inconveniente

O ideal é a utilização de forros de gesso, eventualmente considerando a colocação de mantas acústicas no vão entre a laje. No piso, além do carpete e tapete, mencionados acima, a arquiteta considera o emprego de mantas de isolamento que podem ser colocadas embaixo de pisos flutuantes – madeira, laminado e vinílico. 

Dicas de materiais

Independentemente do ambiente a ser aplicado, os revestimentos duros e maciços diminuem a propagação de som, absorvendo as ondas sonoras. “No piso, o porcelanato é um revestimento que proporciona um belo acabamento e ajuda no tratamento acústico”, conta a arquiteta.

Em relação aos materiais isolantes, a lista considerada para casos específicos são:

• Espuma acústica: indicada para controlar o som de ambientes onde os níveis de pressão sonora interferem na comunicação ou produzem situações de estresse, como auditórios, salas de treinamento, centrais de telemarketing, escritórios, restaurantes, igrejas, bingos, lojas, cabines de som e estúdios;

• Painéis em lã de rocha basáltica: recomendado para o tratamento termo acústico, são usados com frequência em caixas acústicas, miolo para divisórias de paredes e forros;

• Lã de vidro: possui uma grande gama de aplicações, podendo ser usada desde revestimento de paredes e teto de casa de máquinas até como isolamento termoacústico das paredes de casas e apartamentos;

• Composto de madeira maciça laminada ou sarrafeada: revestido em ambas as faces por lâminas de madeira, são utilizadas em forros, mezanino, divisórias de parede, confinamento acústicos e sanitários.