Arte e Decoração

Arquitetos 'pais de pet' ensinam a adaptar a casa para o filho

Bichinhos precisam de conforto para viver bem dentro de uma casa ou apartamento

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

O maior tempo em casa por causa da pandemia de Covid-19 significou, entre outras coisas, um maior tempo de convivência com os pets, ou até mesmo, a chegada de novos moradores. ONGs e protetores de animais apontam um crescimento de 50% na procura por adoção de animais. Para trazê-los para dentro do lar, é fundamental organizar o espaço da melhor maneira para recebê-los.

Antes de tudo, organização da casa e o bom adestramento são fatores primordiais para uma boa convivência entre o pet e seu dono. Uma das primeiras decisões é eleger o espaço para as necessidades fisiológicas, descanso e lazer. “Tendo em vista essa rotina definida de acordo com o layout da residência e a rotina do morador, todo trabalho de ensinar fará com que não aconteçam surpresas não esperadas com a questão de higiene e bagunças”, revela o arquiteto Renan Altera.

Mesmo com essas escolhas, sabemos que o pet, seja um cachorro ou um gato, costuma ter livre acesso a todos os ambientes do imóvel. Por isso, a arquiteta Carina Dal Fabbro destaca a importância da facilidade para manutenção do lar. “Todos os materiais utilizados em casa devem propiciar condições para a lavagem e higienização constante. Alguns materiais, por sua composição delicada, não combinam com essa rotina. Mas sempre digo que a decisão certa não diminui em nada a estética do décor” explica Carina.

É preciso verificar se existe perigoso para o seu pet no lar. Questões como o revestimento utilizado para o piso, até a altura do sofá e da cama devem ser analisados. “Um chão muito liso e escorregadio pode ocasionar doenças osteoarticulares ao cachorro”, alerta Carina.

No tocante ao piso, o porcelanato e o vinílico são as opções imbatíveis em função da forma simplificada para limpar, sem contar que se tratam de materiais resistentes por não absorvem a urina do animal. “Ambos não deixem nada a dever, já que para a decoração nos oferecem infinitas possibilidades de acabamento. E além de ver o nosso lado sobre a estética e praticidade na casa, nunca podemos deixar de na saúde e no bem-estar deles”, diz Júlia, dona do Bolotinha.