Educação em Movimento

Aulão do Enem reúne cerca de 10 mil estudantes na Arena Fonte Nova

Refugiados sírios, redução da maioridade penal, crise na Grécia e homofobia foram alguns dos temas abordados durante o evento

Gil Santos (gil.santos@redebahia.com.br)
- Atualizada em

Refugiados sírios, redução da maioridade penal, crise na Grécia e homofobia foram alguns dos temas abordados durante o aulão show realizado ontem, na Arena Fonte Nova, que reuniu cerca de 10 mil estudantes que irão fazer o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem)daqui a pouco mais de uma semana. Os portões foram abertos às 19h, mas alguns chegaram cedo para conseguir um bom lugar na arquibancada. 

“Cheguei às 18h. Essa é a primeira vez que eu venho e estou gostando”, contou a estudante Amaidã Silva, 17anos. Enquanto isso, uma fila dava voltas do lado de fora do estádio. No terceiro ano do ensino médio, a jovem vai prestar vestibular para Medicina e Enfermagem. Com olhos atentos, caderno e caneta em mãos, ela fez diversas anotações durante a aula.

Na outra ponta da arquibancada, o cadeirante Jacson Gonçalves, 21, estava concentrado. No último ano do colégio, ele está indeciso entre duas opções de curso. “Quero fazer Marketing ou Publicidade. Estou estudando para a prova e depois vou definindo”, contou o estudante, que disse estar nervoso para a prova.

Foto: Arisson Marinho/Jornal Correio*

Se havia dedicação na arquibancada, não faltava descontração nos corredores. De bermuda, camiseta e tênis, o estudante Daniel Carvalho, 19, não levou papel nem caneta, mas disse que estava preparado para assistir às orientações. “Vim ver a aula eo sprofessores, mas também aproveitar os shows. Vou estudar e namorar também, não pode?”, perguntou, aos risos. Os shows eram das bandas Adão Negro e Jammil, contratadas para animar os alunos.

A aula começou com uma apresentação de hip-hop. Depois, o professor de História Ricardo Carvalho, deu início às aulas. Ele abordou temas como guerras, refugiados e economia, uma aposta para a prova. “O que sempre cai são temas contemporâneos, como a terceira revolução industrial, a produção por demanda, os conflitos, a questão do Oriente Médio”, citou.

Ele foi substituído no palco pelo professor de Geografia Adão Albuquerque, que deu uma dica importante para quem vai fazer a prova: “São dois dias de exame e o melhor é que se faça logo a redação. Eu começava fazendo o rascunho da redação, depois fazia as questões de múltipla escolha, escrevia a redação e marcava o gabarito. Funcionou”, recomendou ele, de forma descontraída.

O evento foi promovido pelo projeto Educação em Movimento, uma iniciativa da RedeBahia. O Enem será aplicado em todo o país  nos dias 24 e 25 de outubro. Os portões abrem às 11h e fecham ao meio dia no horário da Bahia, que não segue o horário de Verão. As provas em todo o estado serão aplicadas a partir das 12h30.


Correio24horas