Caminhos da Bahia

Bahia possui mais de 50 sítios arqueológicos

Em um dos sítios arqueológicos foi encontrada uma ferramenta chamada Chopper, que tem cerca de 300 mil anos

Tatiane Sacramento (tatiane.sacramento@portalibahia.com.br)
- Atualizada em
Mais de 50 municípios baianos possuem sítios arqueológicos que ajudam a desvendar muitos dos mistérios envolvendo os antigos habitantes do continente. Lá podem ser encontradas pinturas rupestres, gravuras em pedras, artefatos e fósseis e juntos compõem um verdadeiro acervo que proporciona uma viagem a um mundo que muitas vezes somente é possível no nosso imaginário. No Estado vários indícios da existência pré-histórica podem ser vistos em lugares na Chapada Diamantina, na região da Caatinga, no Cerrado e no Vale do São Francisco.

Muitas das pinturas levam a crer que foram feitas em épocas diferentes, - a exemplo das rupestres que alguns especialistas acreditam terem sido produzidas há cerca de 8 mil a 35 mil anos. Algumas cidades como Morro do Chapéu, Lençóis, Palmeiras, Iraquara e Wagner já desenvolvem projetos educativos que visam envolver a população a cerca da necessidade de se descobrir e preservar este patrimônio. A Serra das Paridas no município de Lençóis, possui um complexo com cerca de  18 sítios arqueológicos e está aberto a visitação.

O município de Central, a 118 km de Irecê, possui um museu a céu aberto. No Sitio Riacho Largo os desenhos de animais extintos, cenas de caça e dos rituais religiosos podem ter sido criados tem 12 mil anos. Vale uma atenção especial para a Toca da Esperança, um sítio arqueológico onde foi encontrada uma ferramenta chamada Chopper, que tem cerca de 300 mil anos. Este sítio é considerado o mais antigo das Américas.

Leia também
Conde e suas belezas naturais encantam baianos e turistas

Conheça cidade com menor população da Bahia