Economia

Bancos e corretoras apostam em ofertas de investimentos na Black Friday

Redução das aplicações mínimas e descontos nas taxas de corretagem são algumas opções ofertadas

Agência O Globo

Quando se fala em Black Friday, logo vêm à cabeça as inúmeras oportunidades de compras – ou seja, de gastar dinheiro. Mas a data pode ser também uma oportunidade para engordar suas economias: bancos e corretoras estão oferecendo promoções até o fim deste mês, como estímulo para os clientes interessados em investir. Além de reduzir — e, em alguns casos, extinguir — a quantia mínima das aplicações, alguns oferecem descontos temporários nas taxas de corretagem e até mesmo investimentos com rentabilidade acima do usual.

Mas cuidado: é preciso não se deixar tomar pela empolgação, afirma a planejadora financeira Myrian Lund, professora da FGV.

Foto: Reprodução

— Em períodos como esse, acabamos tomando atitudes que normalmente não teríamos. Por isso, é preciso analisar objetivamente os seus objetivos, para ver o que você realmente quer, especialmente quando falamos em investimentos — explica Myrian, lembrando que as oportunidades podem ser boas, mas que é preciso planejamento. — Se você já tinha intenções de aplicar em um fundo, por exemplo, ótimo. Mas é preciso analisar todos os aspectos daquele fundo, pesquisar taxas de administração, para ver se você de fato terá como manter aquele investimento. Se não, a chance de ter um prejuízo ou de sair insatisfeito é muito grande.

De desconto no valor inicial do investimento a renegociação de dívida 

Entre os bancos, Santander, Caixa, Itaú, Bradesco e Banco do Brasil anunciaram ofertas.

O Santander, por exemplo, vai oferecer, até o dia 27, CDB Progressivo de até 100% do CDI, com redução no valor inicial do investimento de R$ 10 mil para R$ 5 mil. Nas Letras de Crédito Imobiliário (LCI), a rentabilidade passa de 74% do CDI para 89,5%, com aplicações a partir de R$ 30 mil. Outra opção é o Fundo Yield Premium DI, com taxa de administração de 0,6%, e desconto de 99% na aplicação inicial, de R$ 100 mil para R$ 1 mil. O banco oferece ainda 50% de desconto na taxa de corretagem para aplicação em ações e em outros produtos de renda variável.

Até o dia 27, a Caixa oferece renegociação de dívidas com taxas reduzidas, parcelamento em até 96 vezes ou descontos para pagamento à vista. No crédito pessoal, o banco oferece taxas de até 1,65% ao mês e parcelamento em até 60 vezes.

Há ainda opções de investimento, como o Fundo Estratégico Multimercado Longo Prazo (para perfis mais agressivos), cuja aplicação inicial será reduzida de R$ 10 mil para R$ 1 mil, e o FI Multimercado RV 30 Longo Prazo (perfil arrojado), com redução de R$ 500 para R$ 50 das aplicações.

O Banco do Brasil, que criou um site especial, vai oferecer, até o dia 30, parcelamento de contas em até 48 vezes e crédito para veículos com taxas a partir de 0,89% ao mês.

Já o Itaú reduziu o valor da aplicação mínima no Itaú Plus RF de R$ 1 mil para R$ 250. No caso do Itaú Ultra RF, a redução foi de R$ 120 mil para R$ 25 mil. Clientes Uniclass, por sua vez, contarão com condições especiais em fundos de investimentos e previdência. A aplicação mínima no Itaú Uniclass Plus RF passou de R$ 4 mil para R$ 250. No Itaú Uniclass VGBL Investors RF, o valor mínimo passou de R$ 40 mil para R$ 10 mil. O banco reduziu também o investimento inicial do fundo Itaú Uniclass Multiestratégia Agressivo de R$ 20 mil para R$ 5 mil, com aplicação mínima de R$ 100.

No Bradesco, três fundos tiveram o valor da aplicação inicial zerado: o Multimercado Macro, que normalmente é de R$ 10 mil; o Renda Fixa 08 C (R$ 350 mil); e o Renda Fixa 10 C (R$ 100 mil).

Entre as corretoras, a Órama vai reduzir as aplicações mínimas para R$ 100 em fundos de ações, multimercados e Previdência. Na Clear Corretora, clientes abrirem uma conta até o dia 26, terão 15 dias de corretagem gratuita. Já a Rico acatará aplicações a partir de R$ 1 mil em alguns Fundos de Investimentos em Cotas (FIC), até esta sexta-feira. Em renda fixa, a LC Pernambucanas passará a render 122% do CDI, com investimento mínimo de R$ 3 mil, pelo prazo de três anos.