Economia

Bancos e empresas terão que prestar esclarecimentos sobre ‘crediário’ no cartão

Modelo permite dividir a compra em até 36 vezes, com juros menores que os cobrados no rotativo do cartão

Agência O Globo

A Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs) foi notificada pela Fundação Procon-SP a prestar esclarecimentos sobre o sistema de parcelamento com juros no cartão de crédito – “o crediário no cartão ” – lançado recentemente pela instituição. O novo modelo permite dividir a compra em até 36 vezes, com juros menores que os cobrados no rotativo do cartão. Ao mesmo tempo, traz vantagens para o lojista, que recebe o valor da venda em até cinco dias. Hoje, esse prazo depende do parcelamento. A opção será oferecida por bancos e empresas de cartão de crédito aos consumidores quando estes forem pagar suas compras parceladas.

No ano passado, os brasileiros movimentaram R$ 1,55 trilhão em compras com cartões , uma alta de 14,5% em relação a 2017.

Foto: reprodução
De acordo com a autarquia de defesa do consumidor, a associação deverá informar qual a diferença entre o sistema tradicional de parcelamento com juros em vigor no mercado e essa nova modalidade de crediário no cartão e se a última já está sendo oferecida aos consumidores; se há intenção de substituir a modalidade já existente por esse novo crediário. Outra esclarecimento solicitado pelo Procon é se a máquina do cartão apresentará em sua tela informações ao consumidor de forma clara e completa, tais como opções de simulação, valor final da compra e valores à vista, a prazo e de cada parcela.

Deverá ainda explicar como será estabelecida a taxa de juros para essa nova modalidade. E se, sendo estabelecida pela própria instituição financeira baseada nas informações internas, como o perfil de risco, por exemplo, o consumidor mais vulnerável não ficará prejudicado; qual o benefício do novo sistema para o consumidor. Já em casos de inadequação, o órgão de defesa do consumidor quer saber quais providências serão adotadas pela Abecs.

O pedido de esclarecimento feito pela fundação visa a resguardar os direitos dos consumidores e a garantir que os clientes não sejam prejudicados. A Abecs tem 48 horas para apresentar resposta.