Tecnologia

Brasileiro é listado como um dos 35 jovens mais inovadores do mundo

Criador dos aplicativos Easy Taxi e Singu, Tallis Gomes entra em lista de revista do MIT

Agência O Globo

O mineiro Tallis Gomes é mais conhecido por ser cofundador da Easy Taxi, serviço pioneiro que facilitou a conexão de táxis com passageiros que expandiu para outros 35 países, mas foi pela sua nova empreitada, a Singu, que ele acaba de receber um dos seus maiores reconhecimentos internacionais.

Divulgada na semana passada, a lista “35 Innovators Under 35” (35 inovadores com menos de 35 anos), publicada pela revista “MIT Technology Review”, traz o jovem brasileiro encabeçando a seção de empreendedores com o “Uber para a beleza”. "Eu fiquei muito feliz, principalmente pelo reconhecimento de um trabalho que permite a ascensão social da população", comentou Gomes. "É um prêmio para toda a equipe da Singu".

(Reprodução: Divulgação)
Descrita pela “MIT Technology Review” como o “Uber para a beleza”, a Singu permite que profissionais autônomos ofereçam serviços de manicure, depilação e massagem para os mais de 120 mil consumidores cadastrados. Contudo, as operações se restringem apenas a São Paulo e Rio. "Foi inesperado ter sido reconhecido pela Singu, que ainda não foi para fora do país", disse o empreendedor. "É bom para me descolar da Easy Taxi. Não quero ficar como um ator marcado por um grande papel".

A lista “35 Innovators Under 35” é uma das mais reconhecidas nos campos do empreendedorismo e da inovação. A primeira edição, lançada em 1999, trazia nomes como Marc Andreessen, criador do navegador Netscape, e o jovem designer da Apple Jonathan Ive, que anos depois seria um dos responsáveis pelo desenvolvimento do iPod, iPhone e iPad.

Na primeira edição o cientista brasileiro Sandro de Souza, que atua no campo da bioinformática, foi um dos listados, mas desde então a frequência brasileira na publicação foi escassa. No ano passado, Ronaldo Tenório, criador do aplicativo Hand Talk — tradutor para libras —, foi um dos homenageados.

"Ter brasileiros pelo segundo ano consecutivo é um feito para um país marcado pelo desincentivo à inovação", disse Gomes. "Isso mostra que apesar das barreiras, o Brasil ainda consegue ser competitivo".

A citação na lista “35 Innovators Under 35” não oferece premiação monetária, mas reconhecimento internacional. Para Gomes, isso pode facilitar o processo de recrutamento de profissionais para a Singu. Com apenas 24 funcionários, a empresa é pequeno porte e tem dificuldade para disputar nomes no mercado com gigantes do setor.

A premiação também pode ajudar nos planos de expansão da Singu para mercados no exterior. "Eu pretendo expandir para os EUA, e agora tenho uma chancela", avaliou o empreendedor. "Esse prêmio do MIT cria uma ponte para emigração da Singu para o mercado americano. Facilita o contato com parceiros e no recrutamento de profissionais".