Economia

Caixa reduz juros para crédito imobiliário e aumenta limite de financiamento para imóveis

Limite de cota de financiamento de imóveis usados sobe de 70% para 80%. Com isso, é possível dar uma entrada menor na aquisição deste tipo de bem

Pollyanna Brêtas, da Agência O Globo

A Caixa Econômica Federal anunciou, nesta sexta-feira (24) a redução nas taxas de juros do crédito imobiliário com recursos do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE), e aumentou o percentual do valor para financiar imóveis usados. As mudanças começam a valer imediatamente.

As taxas mínimas passaram de 9% ao ano para 8,75% no caso de imóveis financiados dentro do Sistema Financeiro de Habitação (SFH). Já os juros para imóveis do Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI) passaram de 10% ao ano para 9,50% ao ano.

O limite de cota de financiamento de imóveis usados sobe de 70% para 80%. Com isso, é possível dar uma entrada menor na aquisição deste tipo de bem.

A instituição financeira tem R$ 82,1 bilhões disponíveis para o crédito habitacional em 2018. O banco reduziu as taxas em abril deste ano, pela primeira vez em 17 meses, seguindo o movimento iniciado por outros bancos. Na ocasião, a Caixa também elevou o limite de financiamento de imóveis usados de 50% para 70%.

Recursos da poupança
O presidente da Caixa Econômica Federal, Nelson Souza, já havia anunciado que o banco pretendia expandir, até o fim do ano, a carteira de crédito imobiliário para a classe média com recursos da poupança, via SBPE (Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo).

Souza ressaltou ainda que a Caixa poderá lançar também uma letra de crédito garantida para ampliar o financiamento. O presidente do banco acredita que a antecipação, de janeiro de 2019 para ainda este ano, da liberação de financiamento dentro do Sistema Financeiro da Habitação (SFH), com recursos do FGTS, para imóveis avaliados em até R$ 1,5 milhão irá ampliar o apetite de crédito pela classe média.


Sem recursos na linha mais barata
No início do mês, a Caixa Econômica Federal (CEF) interrompeu as operações na linha Pró-Cotista também para imóveis usados por causa do esgotamento de recursos. A Pró-Cotista é considerada a linha de financiamento com juros mais baratos do mercado e utiliza recursos do FGTS.

De acordo com a Caixa, o volume de recursos disponibilizados pelo Conselho Curador do FGTS para 2018 na linha Pró-Cotista foi de R$ 3,5 bilhões, sendo R$ 1,4 bilhão para imóveis usados e R$ 2,1 bilhão para imóveis novos. A Caixa garantiu que o estoque de processos em andamento será contemplado.