MUSICA

'Carnaval e São João estão nas impressões digitais dos baianos', declara Danniel Vieira

Ao iBahia, o cantor falou sobre momentos marcantes que viveu no São João, o período de pandemia e planos para carreira: vem aí um cd de piseiro

Lívia Oliveira (livia.oliveira@redebahia.com.br )
- Atualizada em

"Artista que dizer que passou pelo São João da Bahia e não ficou encantado é porque não se deu a oportunidade de receber esse afeto baiano", garantiu Danniel Vieira ao relatar a grandeza das comemorações juninas na Bahia. O cantor, que chegava a fazer mais de 30 shows neste período do ano, relembrou com carinho momentos marcantes do São João em sua vida, falou sobre os planos para os próximos dias e também sobre o que tem feito neste período de pandemia da covid-19. 

Recentemente, Danniel Vieira postou em suas redes sociais um vídeo de uma apresentação que fez em Santo Antônio de Jesus no último São João, antes da proibição das festas como medida de contenção da transmissão do vírus.

Ao falar sobre esse momento, em que cerca de 100 mil pessoas vibravam junto com ele a cada música, o artista desabafou e afirmou entender a necessidade de evitar as aglomerações, mas que sente saudade dos shows e do contato com o público.

Foto: reprodução / Instagram

"São João é uma época que eu estava presente em muitas cidades, realmente fica a saudade. Fica aquele, eu não sei dizer se é vontade de chorar, se é vontade de sorrir. [...] Nesse dia (em que postei o vídeo) me dei conta que a minha profissão está 'extinta' pode-se dizer assim, neste momento. A gente é cantor de internet", detalhou Danniel, que reforçou que em nenhum momento reclamou ou colocou em xeque  a postura dos governantes de proibir os eventos, pois entende a necessidade do momento. 

Confira o bate-papo completo com Danniel Vieira 

1- Qual foi o São João mais marcante da sua vida/carreira? 

Danniel: Eu tenho algumas lembranças do São João. É difícil falar um ou dois momentos, porque eu vivo isso intensamente há quase 10 anos. 

Danniel e a filha | Foto: reprodução
Lembrança 1 - Minha filha, Bela, nasceu na extensão do São João em 2014. Eu estava me apresentando no Forró do Coffe, no dia 19 de julho, e lembro que passei o São João todinho com medo da minha esposa parir e eu não ver e foi realmente o que aconteceu. 

Lembrança 2- Tem o meu primeiro São João no Forró do Piu Piu e na Praça de Amargosa (2011/2012), que é uma das praças mais tradicionais do São João e era a cidade em que eu ia curtir. Me emocionei muito. 

Lembrança 3- E também tenho uma história muito bacana com Santo Antônio de Jesus. Tive duas ou três passagens por lá, mas a última, em 2019, tinham 100 mil pessoas na praça, que foi a que eu postei no Instagram e foi muito emocionante. E teve a primeira vez que toquei na cidade em que ganhei até um prêmio da prefeitura de banda revelação. Fiz o show com febre de 39 graus, foi uma história de superação, nem sei como eu conseguir subir no palco e cantar. 

2- Tem alguma lembrança inusitada deste período festivo? Já presenciou alguma loucura de fã para ficar perto de você? 

Danniel: No São João de 2016, se não me engano, eu terminei o show e quando desci do palco me falaram que tinha uma pessoa especial me esperando, "que andou de cadeira de rodas tantas horas, tantos quilômetros, tomou chuva, passou por lama e ficou na porta chorando querendo te conhecer". Quando eu cheguei no camarim essa menina (Sthefane) não sabia se chorava, sorria, tremia. Foi uma emoção muito grande para mim, porque eu sou uma pessoa muito chorona e muito sensível. 

Eu me coloquei diante do espelho e pensei "gente, eu sou especial realmente?, eu mereço esse carinho?, esse sacrifício?" E é uma coisa que me leva sempre a atender os fãs, ter cuidado, responder as pessoas, seja no Instagram ou onde for, porque eu me pergunto eu sou merecedor. E para eu ser merecedor eu tenho que ter bastante cuidado e ser muito atento. Sthefane se tornou minha amiga e amiga da minha banda. É uma pessoa muito especial. 

3- O que você acredita que fazer o São João na Bahia ser tão especial?

Danniel: Eu acho que o Carnaval da Bahia e o São João da Bahia são duas festas populares, que estão impressas, estão juntas com as impressões digitais da gente. Elas são a gente. A festa junina mexe com toda a economia da cidade e as pessoas sabem disso e elas são acolhedoras. Elas acolhem de uma maneira especial e se torna uma coisa especial, inesquecível para qualquer artista. A gente (os baianos) é especialista em festa. 

Foto: reprodução /  Instagram

4- Como vai ser o seu São João? E para você o que não pode faltar na comemoração junina?

Danniel: Com a pandemia, eu tive a oportunidade de passar meu primeiro São João com meus filhos, Bela e Thor. E esse vai ser o segundo. Vamos soltar fogos, chuvinha, track, isso é muito encantador. 

Não pode faltar os bolos (milho, mandioca, laranja), pamonha, o milho assado, o amendoim cozido, um licorzinho. Meu filho é louco por bolo. Mas, para mim, Danniel, o que mais me remete ao São João é amendoim cozido. Sou apaixonado. 

5- Para matar a saudade das apresentações de Danniel Vieira no São João, o que os fãs podem fazer? Tem alguma apresentação prevista para os próximos dias? 

Danniel: Fui contratado por algumas empresas para fazer lives nos próximos dias e também estou planejando, vendo se é viável, fazer uma live (própria) de São João. Estou produzindo um cd para lançar lá para o dia 22 de junho. Um cd diferente, especial de piseiro, para homenagear o São João. Danniel Vieira não vai virar forró, é só para o São João, porque é o ritmo do momento.  E deve ter uma música autoral. 

Danniel preparado para o sanju em casa| Foto: reprodução 
6- Lembro que no último Carnaval você citou que estava planejando lançar um novo DVD. O que seus fãs podem esperar para os próximos meses? 

Danniel: Continua nos planos. Quero gravar um audiovisual, aprendi com Tayrone que não existe mais DVD nesse segundo semestre do ano, lá para setembro ou outubro, para lançar no final do ano. Imaginando uma possível volta (dos shows e outras apresentações) no primeiro trimestre de 2022. Será um audiovisual com 10 músicas novas, eu reescrevendo minha história. Novas peles nuas, novas loucas, novas quatro motivos, novo sabonete de motel. Novas músicas para contar a minha história com a minha cara. 

7- Quem são suas maiores inspirações musicais?  Tem algum artista que você ainda não tocou e quer muito fazer uma parceria? 

Danniel: Que eu não toquei não, que eu tenho vontade fazer parceria sim, um bocado. Ainda não toquei com Gilberto Gil e eu sou muito fã dele. 

Hoje, eu tenho como referência do meu trabalho, de conceito, de falar de amor e das composições escolhidas, Jorge e Mateus e um pouquinho de Fernando e Sorocaba também. Tive a oportunidade de cantar junto com eles. Agora voz de sertanejo É Belutti, da dupla Marcos e Belutti. Sem dúvidas, eu acho que é uma das vozes mais bonitas que conheço e também tive a oportunidade de cantar com eles, gravamos uma música juntos. Mas, se perguntarem quem é meu ídolo, quem me iniciou na música, Gilberto Gil. 

8- Como tem sido esse período de pandemia para você? 

Danniel: Resolvi fazer um tratamento contra uma doença chamada obesidade, tratamento esse que vem com muitas frentes de batalha, pode-se dizer assim, de ordem médica (com apoio de profissionais de diversas especialidades). Perdi 20 quilos, mas cheguei a ganhar uns quatro de volta após ter covid-19, porque eu não podia ter restrição alimentar na recuperação, mas a gente emagrece de novo, corre atrás. 

Outra coisa positiva da pandemia é que eu virei mais pai do que nunca. Tenho esse grudinho, essa coisa gostosa, com meus filhos. Eu quero ver quando eu voltar para estrada, que tiver que dormir fora e fazer show de São João como é que essa turma vai viver. 

Danniel e a família | Foto: reprodução / Instagram

9- Esses dias você compartilhou no Instagram momentos de uma imersão no Exército. Teve algum motivo em específico? Conta um pouco dessa experiência para a gente, o que ela agregou em sua vida? 

Danniel: Se eu não tivesse o vírus da música, um vírus porque te pega de jeito, te derruba para qualquer outra atividade. Eu seria militar sem dúvidas, não sei nem te explicar o meu entusiasmo, é uma coisa mais forte que eu. Eu gosto dos serviços que são feitos, do engajamento social, das atividades que ajudam as comunidades, forma cidadãos disciplinados. Eu percebo o quão valoroso é o serviço militar. 

Em um período em que ficaria triste pela falta do São João, tive a oportunidade de participar do projeto "Conheça o Seu Exército", para inserir a sociedade dentro da realidade, mostrar como funciona. Algo que talvez em outro ano eu não poderia fazer. Participei das atividades, dormir no meio do mato, participei de treinamentos. 

*O cantor deixou os registros da experiência fixados nos destaques do seu perfil no Instagram. 

Para finalizar a entrevista, Danniel Vieira pediu que os fãs orem pela categoria dos artistas, que estão há dois anos sem trabalhar, e que respeitem as medidas de combate ao novo coronavírus. "Quanto mais vocês se protegerem, mais rápido a gente volta ao normal. A vacina já está chegando, vamos com calma. Existe uma luz no fundo do túnel".