Carros

Chevrolet Onix: qual versão perde menos valor?

Quando o assunto é preço de carros, há duas metodologias para calcular a perda de valor: desvalorização e depreciação

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

Você faz ideia do quanto um carro pode desvalorizar após um ou mais anos de uso? Entender sobre esse assunto contribui para uma compra consciente. Pensando nisso, a KBB Brasil, empresa especializada em precificação de automóveis novos e usados, fez uma análise do Chevrolet Onix - que já foi vencedor de prêmios como o melhor valor de revenda e o carro mais vendido nos últimos anos.

A análise aponta diferenças entre as taxas de desvalorização após um ano de uso, de suas versões, comparando com os dois períodos da primeira geração: antes e depois do facelift da linha 2017 do modelo.

Foto: Divulgação/Chevrolet
Levando em consideração os preços dos carros em setembro de 2019, o levantamento mostra que, na geração anterior do modelo, o Onix Joy se comporta como o carro de entrada, as versões LT e LTZ como os segmentos intermediários e o Activ se posiciona como o topo de linha. Coincidentemente, ou não, os automóveis que menos e que mais desvalorizam pertencem a essa última leva do Chevrolet Onix.

Nota-se que o Chevrolet Onix Activ 1.4 8v flex automático apresenta a menor taxa da análise com 5,1%, enquanto o modelo LT 1.4 8V flex mecânico da primeira geração perde 6,27%. O inverso acontece com os veículos mais desvalorizados, uma vez que o Chevrolet Onix LT 1.0 8V flex mecânico, do primeiro momento no Brasil, cai 8,18% em preço. Já o Onix LTZ 1.4 8V flex mecânico perde 8,48% em preço no período.

Confira abaixo a relação completa com as desvalorizações das versões do Chevrolet Onix antes e depois do facelift da linha 2017:
Foto: reprodução / KBB Brasil

Foto: reprodução / KBB Brasil


Quando o assunto é preço de carros, há duas metodologias para calcular a perda de valor: Desvalorização e Depreciação. Desvalorização é a comparação do preço atual de um veículo com os valores aplicados pelo mercado à mesma versão fabricada em anos anteriores. Já a Depreciação usa o valor do veículo 0 Km em um período determinado em relação a seu atual valor residual, sempre considerando o mesmo ano/modelo e sem o mesmo rigor de sua definição contábil, que tem regras muito estritas. Neste estudo, foi aplicado o conceito de desvalorização, levando em consideração todo o período de vida dos modelos analisados.



A KBB utiliza tecnologias de análise de dados e Big Data para produzir os levantamentos de precificação e desvalorização de veículos novos e usados. Os valores aqui presentes são gerados por meio de um complexo algoritmo, que analisa diversos fatores de comportamento do mercado automotivo brasileiro, além de seguir uma rígida análise de especialistas.