Comportamento

Cinco pontos turísticos não óbvios para conhecer no nordeste

Quer variar os destinos turísticos e sair do trivial de vez? Confira cinco pontos turísticos nordestinos pouco conhecidos, perfeitos para você se livrar de multidões e aproveitar com menos estresse as belezas nacionais

Por Vanessa Brunt e Carolina Rodrigues, do Não Óbvio


O Nordeste brasileiro é um dos lugares mais apreciados por turistas. Repleto de paisagens

naturais incríveis e famoso sobretudo por suas praias paradisíacas, é uma das regiões mais procuradas em épocas comemorativas.

Locais como a Baía do Sancho, em Fernando de Noronha, Porto de Galinhas em Ipojuca ou Moreré na Ilha de Boipeba são locais que todo mundo sonha conhecer um dia. E não é por menos: o cenário azul cristalino é impecável; o sonho de consumo de quem ama praia ou para aqueles que desejam um contato mais profundo com a natureza.

Mas, por serem destinos muito conhecidos, turistas se acumulam aos montes em busca de um cantinho na areia para relaxar enquanto aproveitam o sol.

Foto: reprodução / Não Óbvio
A sorte é que, para quem quer fugir do agito e conhecer novos ares, o Nordeste reserva lugares fora da rota tradicional turística; destinos igualmente surpreendentes, que você deve adicionar na sua lista agora mesmo.

Por isso, para dar suporte e guiar nessa empreitada, o NÃO ÓBVIO selecionou cinco pontos turísticos não óbvios no Nordeste brasileiro que vão te ajudar a fugir do habitual e que podem te maravilhar. Confira:

1. SÍTIO ARQUEOLÓGICO DAS PEDRAS BRILHANTES | SÃO DESIDÉRIO, BAHIA
Foto: reprodução
Além das belas praias, a Bahia é um estado que guarda inúmeras histórias marcantes sobre o Brasil.

A 900km de Salvador está localizada São Desidério, uma região que atrai poucos turistas e que pode ser uma boa rota de fuga de agitações. Repleta de paisagens naturais, o município tem mais de 100 grutas e sete sítios arqueológicos, sendo três deles cemitérios indígenas.

A região em si era habitada por índios tapuias (diferente dos nativos, eles não falavam tupi), habilidosos com cerâmica e lapidação de cristais e turmalinas.

O Sítio Arqueológico das Pedras Brilhantes abriga parte dessa história, com centenas de pinturas rupestres entre as paredes e grutas, datadas no período de pré e pós descobrimento do Brasil. É possível encontrar representações do Sol e da Lua, feitas com colheres, correntes e balaios. Também há restos mortais e artefatos utilizados para caça e pesca, além de um pequeno cânion.

☌ Localizado numa propriedade privada, é recomendado visitar o local acompanhado por um guia. O Sítio Arqueológico das Pedras Brilhantes está localizado a 20km de São Desidério.

2. IGREJA NOSSA SENHORA DA GUIA | LUCENA, PARAÍBA

Foto: reprodução / Não Óbvio

A Igreja Nossa Senhora da Guia foi erguida quando carmelitas (ordem religiosa católica do século XI, que surgiu no Monte Carmelo, em Israel) tinham como objetivo catequizar os índios brasileiros.

Segundo historiadores, o templo começou a ser construído em 1730, pelo Frei Manoel de Santa Tereza. Ali foram construídos um convento e a capela. Contudo, a igreja não foi concluída.

No século XIX, quando as carmelitas abandonaram o local, o convento foi demolido e a igreja permaneceu conversada por devotos. No mesmo terreno, há um cemitério em que são enterrados moradores das redondezas.

Pertencente ao período barroco, é talhada em pedra calcária e é a única igreja daquele período com um altar esculpido em pedra. A Igreja Nossa Senhora da Guia tem, na fachada, representação de plantas silvestres e frutas típicas da região.

Além disso, uma curiosidade interessante é que a construção está num ponto estratégico, pensado para prever ataques inimigos. No alto da colina, é possível ver, do outro lado do Rio Paraíba, o Forte de Santa Catarina.

☌ A 28km do centro de João Pessoa, é possível visitar a Igreja Nossa Senhora da Guia sem guia turístico.

3. GROTA DO ANGICO | POÇO REDONDO, SERGIPE

Foto: reprodução / Não Óbvio
Localizada a 200km de Aracaju, a Grota do Angico é um local importante para a história brasileira, conhecido por ser o local onde Lampião e sua trupe foram capturados e mortos em 28 de julho de 1938.

Segundo historiadores, foi ali em Poço Redondo que Virgulino Ferreira, Maria Bonita e 11 dos 36 cangaceiros foram mortos numa emboscada comandada pelo tenente João Bezerra. As cabeças do grupo ficou exposta na frente da prefeitura de Piranhas.

O local é citado no livro Maria Bonita: Sexo, violência e mulheres no cangaço, da autora Adriana Negreiros. É o livro mais completo sobre a participação feminina no cangaço nordestino. E no final, a Adriana conta sobre a armadilha dos policiais para capturar os cangaceiros.

Lá, há uma cruz e uma placa que explica o fato, além de grande variedade da flora local, com vegetação nativa da caatinga.

☌ Para conhecer a Grota do Angico é preciso fazer uma trilha, por isso é preciso do acompanhamento de um guia ou agente florestal. Outra opção é refazer a Rota do Cangaço com empresas de turismo da região.

4. OLHO D’ÁGUA FREI PEDRO | ALTO LONGÁ, PIAUÍ

Foto: reprodução / Não Óbvio

O Olho D’água Frei Pedro é pouco conhecido, por isso atrai poucos turistas que visitam Piauí. A 68km da capital Teresina, o Olho D’água possui águas cristalinas e uma história misteriosa por trás.

Segundo as lendas locais, um frei franciscano chamado Pedro era conhecido na região por fazer curas milagrosas. Após um dia cansativo, morrendo de sede, frei Pedro encontrou o local e infelizmente faleceu à beira da nascente.

Dizem que seus poderes curativos foram absorvidos pela água e que Deus o trouxe à vida, dessa vez como um peixe dourado. Porém, ele só é visto uma vez a cada século e quem o vir será abençoado.

Muitas pessoas contam que foram curadas quando mergulharam nas águas da fonte do Alto Longá. Na verdade, muitos vão até lá em busca de graças, ao fazerem suas preces numa cruz, que fica próxima.

☌ Aos arredores do Olho D’água Frei Pedro há cachoeiras. Para visitar o local não é preciso estar acompanhado de guias turísticos.

5. PRAIA DE GALOS | GALINHOS, RIO GRANDE DO NORTE

Foto: reprodução
Se você procura um local tranquilo, pouco conhecido e sem muitos turistas, a região de Galinhos e a praia de Galos pode ser uma opção.

Por estar fora da rota do turismo de massa, a região de Galinhos ainda é pouco frequentada. É um local isolado por dunas e água salgada, localizada na ponta de uma península. Além disso, possui paisagens de tirar o fôlego.

A praia de Galos é tranquila e o distrito possui cerca de 3 mil moradores. Para conhecer todos os pontos turísticos é preciso ter disposição para caminhar. Galos é repleta de paisagens incríveis com piscinas naturais, praias isoladas e dunas de sal e areia.

Quem já visitou o local diz que assistir o nascer e pôr do sol na cidade é uma experiência revigorante.

O nome do município faz referência a um peixe muito comum na região, o peixe-galo.

☌ A região de Galinhos fica localizada a 170km ao norte da capital Natal. Saindo da capital, é necessário pegar a estrada BR 406. Um adendo importante é que as cidades não têm bancos e caixas eletrônicos, portanto opte por dinheiro em espécie.