Casamentos

Colunista: Vou casar, e agora?

Colunista dá dicas para ajudar nos primeiros passos do seu casamento. “Quanto mais intimidade e liberdade vocês têm com o noivo, melhor”, aconselha

Quando ficamos noivas, aparece um turbilhão de dúvidas em nossa cabeça: Por onde começar? Quanto vai custar tudo? Quem eu vou convidar? Qual fornecedor é melhor para mim?


A gente começa a seguir mil fornecedores no Instagram e ler mil blogs de casamento e ver tanta ideia maravilhosa que tanta informação nos deixa louca. Eu passei por isso também. Os olhos brilham a cada coisa que a gente descobre nas nossas pesquisas. Para ajudar um pouco nesse início de pesquisa, eu queria dividir com vocês três dicas que eu acho bem importante para dar os primeiros passos:


Converse com seu noivo abertamente sobre o orçamento de vocês e as reais possibilidades de vocês. Quanto mais intimidade e liberdade vocês têm com o noivo, melhor. Veja também se a família pretende ajudar e como. No meu caso, eu ganhei de presente alguns itens que precisaria fechar, como os convites de meu irmão, o meu vestido da noiva de meu pai, o espumante do meu padrinho e os bem casados da minha prima. Já me aliviou muito no bolso e me permitiu distribuir meu orçamento para outros itens.


Com o orçamento definido, você pode começar as pesquisas de fornecedores, porque, veja bem, se meu orçamento não permite um espaço mais caro que, por exemplo, 8 mil, para que irei olhar esses lugares e ficar apaixonada por eles e me frustrar depois? E acredite, isso acontece muito e se torna o primeiro passo para estourar o orçamento.

Selecione os lugares para visitar onde o orçamento cabe no seu bolso

Defina a data e a quantidade de pessoas que pretendem convidar, mesmo que seja um número aproximado.  Todos os fornecedores precisam saber dessa informação para te dar um orçamento. Primeiro, porque precisam saber a disponibilidade deles na sua data, e acredite, tem fornecedor com agenda fechada já para 2016! E segundo porque a quantidade de convidados muitas vezes reflete diretamente no preço que eles vão te dar.


Entendam que muitas vezes, o sonho de casar é nosso, e nem sempre o do noivo. A gente vai querer falar de casamento o dia inteiro, e lógico, vamos querer mostrar para o noivo e pedir opinião e querer ver nele a mesma vibração que a gente tem. Não fiquem chateadas se não acontecer assim.


Eu ouvi do meu noivo, certa vez: “Ela quer que eu saiba até o azul tifanny do detalhe da mesa“. Não adianta brigar, ficar chateada ou pior, achar que é porque ele não nos ama ou não liga para o casamento. Mas é porque é um momento tão nosso, um sonho que já nos acompanha há tanto tempo que para a gente cada detalhezinho tem uma importância enorme. E para os noivos, o pensamento é “Fazer a Noiva Feliz!”.


Mas lógico que sempre tem um noivo que nos surpreende né? Meu colega do trabalho diz que na verdade, no casamento dele, ele era “a noiva da relação”. Era ele quem queria todos os detalhes, que se reunia com os fornecedores, que vibrava cada contrato fechado. Acho lindo e sempre que o encontro chamo ele de super noivo!

Hoje eu conheço alguns noivos assim, e sempre faço questão de dar os parabéns a eles.


Mas precisamos lembrar que nem todos vão agir assim, e que devemos buscar entender e respeitar caso o nosso noivo seja menos participativo. Fundamental é ele estar lindo e feliz no dia do casamento para dizer o nosso tão esperado SIM!