Economia

Com combustível em alta, veja dicas para economizar ao sair de carro

Consumidor enfrenta filas em postos de Salvador, mas combustível já está em falta

Gabriel Lopes* (gabriel.freitas@redebahia.com.br)
- Atualizada em

Nas últimas semanas o consumidor baiano foi pego de surpresa com o aumento do preço do combustível (gasolina e diesel) vendido nos postos de Salvador. A gasolina, que antes custava cerca de R$ 3,80, chegou a ser vendida por R$ 4,57 (preço atual de alguns postos da capital baiana). Para ajudar durante esta crise, o iBahia listou algumas dicas que você pode adotar para economizar combustível e deixar o bolso respirar. Confira:

1) Mantenha sempre os pneus calibrados. Pneus com baixa calibragem "prendem" mais o veículo causando aumento do consumo, desgaste desigual dos pneus e perda de estabilidade do veículo. Estudos indicam que pneus mal calibrados podem elevar em até 10% o consumo de combustível.

2) As rodas devem estar sempre balanceadas e alinhadas.

3) Carregue apenas o essencial, ou seja, o mínimo de peso possível no veículo.

4) A aceleração do veículo deve ser feita sempre de forma gradual, sem arrancadas bruscas, que consomem mais combustível e desgastam os pneus.

5) Procure manter uma velocidade constante. A prática de acelerar e reduzir constantemente consume mais combustível.

6) Use sempre a marcha mais alta que puder, na velocidade em que estiver. Em marchas mais baixas, o motor trabalha em rotações mais altas, o que aumenta o consumo

7) Nas descidas de ladeira, use o chamado "freio motor", que é descer com o carro engrenado sem acelerar. Nos carros com injeção eletrônica, essa prática faz com que a central de monitoramento do veículo "corte" o combustível, diminuindo o consumo. Essa prática também ajuda na frenagem do veículo, controlando a velocidade na descida e reduzindo o desgaste dos freios

8) Mantenha sempre os filtros de ar e combustível do veículo em bom estado de limpeza. 

9) Utilize combustível de qualidade, vá apenas a postos confiáveis e desconfie de preços muito abaixo da média praticada pelo mercado.

Tecnologia pode ajudar
Outra maneira de economizar é usar o auxílio da tecnologia, já que existem aplicativos para celular que conseguem monitorar algumas informações do veículo e de consumo. Confira:

1) Carrorama (Android) (iOS) - O aplicativo é uma opção para quem quer calcular o gasto diário com combustível. 

2) Waze (Android) (iOS) - O aplicativo mais famoso para navegação e rotas. Permite acompanhar o trânsito em tempo real e calcular a menor rota para que o usuário não perca tempo parado em engarrafamentos.  

3) Econoflex (Android) - Ferramenta para verificar se a melhor opção é abastecer com álcool ou gasolina para os carros flex.

4) Combustíveis (Android) (iOS) - Compara preços de combustíveis de postos ao seu redor e mostra em qual deles vale a pena abastecer.

5) BeepMe (Android) (iOS) - Uma opção para quem quer economizar é utilizar caronas. Para isto, existem apps como o BeepMe.

Postos de combustível em Salvador já estão com filas. (Foto: Leitor iBahia)

Aumentos recorrentes
Para o presidente do Sindicato do Comércio de Combustíveis, Energias Alternativas e Lojas de Conveniências do Estado da Bahia, Walter Tannus, a justificativa da alta é um repasse dos constantes aumentos feitos pela Petrobras com sua nova política de preços.

Na última quinta-feira (17), a Petrobras anunciou novo reajuste no preço de combustíveis. A gasolina subiu 12,9% e o diesel, 11,6%. Ao todo, foram registrados 12 aumentos em menos de vinte dias.

Manifestações dos caminhoneiros
A situação repercutiu negativamente entre os caminhoneiros e desde a última segunda-feira (21) a categoria está realizando manifestações em 25 estados e no Distrito Federal, contra a disparada do preço do diesel. Os reflexos dos atos já podem ser sentidos por todo o país.

Caminhões parados no acostamento e em um posto do Rio de Janeiro. (Foto: Reprodução/TV Globo)

Os protestos provocaram redução de frotas de ônibus em várias cidades. Outro fator é a disparidade de preços em postos de combustíveis, valores variam entre R$ 2,10 e R$ 10. Além do preço cobrado, alguns estabelecimentos já enfrentam a falta de combustível e grandes filas. É o caso do estado do Rio de Janeiro: com a greve, 90% dos postos já estão sem combustíveis. A informação foi confirmada, nesta quinta-feira (24), pelo Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis, Lubrificantes e Lojas de Conveniência no Estado do Rio de Janeiro (Sindestado-RJ).

O abastecimento de supermercados também foi afetado pelos protestos; falta de medicamentos fez hospitais suspenderem a realização de procedimentos; fábricas de diferentes segmentos pararam as produções e alguns aeroportos enfrentam a falta de combustível.

*Sob supervisão do repórter Luiz Almeida