Sustentabilidade

Comer sem tirar do lacre: cientistas desenvolvem papel filme feito de leite

Comestível e biodegradável, inovação pode evitar desperdício e poluição de plástico

Agência O Globo
- Atualizada em

Já aconteceu com todo mundo: morrendo de fome, você desembala mal o sanduíche do plástico e morde aquele belo pedaço de papel-filme. Sem contar as infinitas vezes em que foi simplesmente impossível separar o papel da bala... Mas agora essa era pode chegar ao fim. Cientistas desenvolveram um papel-filme comestível que pode estar no mercado em três anos.


O trabalho, do Departamento de Agricultura dos EUA, usa case[ina, uma proteína achada no leite. O material é biodegradável, sustentável, e, segundo os pesquisadores, afasta o oxigênio (e logo, preserva a comida) cerca de 500 vezes melhor do que plásticos normais.


"Papel-plástico baseado em proteínas são bloqueadores poderosos de oxigênio que ajudam a comida a estragar menos. Se forem usados em embalagens, vão ajudar a evitar desperdício de comida em toda a cadeia de distribuição", afirma a doutora Peggy Tomasula, líder da pesquisa.


Algumas empresas já vendem papel-plástico comestível, mas eles são feitos de amido, que é mais poroso e permite que o oxigênio entre por micro poros. A embalagem a base de leite tem poros menores e deixa que muito menos oxigênio entre.


"No momento estamos testando usos como embalagens para comida de uso único. Por exemplo, queijo no palito vendido no mercado usa muito plástico, é embalado individualmente. Queremos mudar isso', afirma a doutora Laetitia Bonnaillie, co-autora do trabalho.