Comportamento

Confira dicas para evitar estresse na hora do divórcio

A advogada Diana Poppe, autora do livro 'Manual do bom divórcio', compartilha ensinamentos que podem evitar muita dor de cabeça

Agência O Globo

O divórcio sempre vai ser um momento delicado na vida de qualquer casal que venha a enfrentar um. Mas há estresses que podem ser evitados. Especialista no assunto, a advogada Diana Poppe, autora do livro 'Manual do bom divórcio', da Globo Livros, compartilha alguns ensinamentos que podem evitar muita dor de cabeça. Confira:

Foto: Divulgação

1. Escolha seus ouvidos


Familiares e amigos podem ser um problema a mais: cobram atitudes, dão muitas opiniões e podem não ter a distância necessária para uma ajuda positiva. Prefira ouvir a voz de profissionais: advogados especializados em Direito de família, mediadores, terapeutas de casal e particulares. Ah! E cuidado com quem lhe der muita razão. Alguma você tem, mas não toda.

2. Controle-se, ainda que pareça impossível

Preocupe-se em ser discreto e gentil quando falar com o ex-parceiro, mesmo que no fundo não deseje. Palavras mal ditas custam caro. A melhor forma de não se arrepender de suas atitudes é mantendo o controle.

3. Não espere tudo da justiça

Não coloque muita expectativa na “justiça”. A estrutura dos tribunais pode ser, por vezes, bastante disfuncional. Tente transferir essa expectativa para si mesmo. Tenha em mente que o casal chega junto ao fim da linha. Há erros e acertos de todos os lados. Olhe para dentro de si, entenda-se e se desculpe.

4. Aprenda a ceder

Construir um acordo de divórcio exige mais esforço do que colocar sua vida nas mãos de um juiz. Não há como construir consenso querendo sempre ganhar. Entretanto, é mais bem sucedido quem descobre do que pode abrir mão.

5. Combinado não sai caro

Assuntos delicados como regime de bens, guarda dos filhos e quem vai sustentar a família podem ser tratados antes e durante um casamento. O pacto antenupcial está virando moda e pode ajudar.

6. Antes da dor, pense nos filhos

Ninguém deixa de ser pai ou mãe com o divórcio. Respeitar o outro é respeitar seu filho. Decisões relativas à vida dos filhos devem ser tomadas por ambos os pais e em prol dos interesses da criança.

7. Não desperdice o divórcio

Se o divórcio é necessário na vida, aproveite-o. Ele vai abalar sua estrutura familiar, geográfica, patrimonial, emocional e social. E também forçar a reconstrução de todos esses pilares. Aproveite para reconstruí-los sabendo mais de si mesma. A vida segue!